AçõES SUSTENTáVEIS DO TCE-MT REDUZEM CONSUMO DE ENERGIA E GARANTEM CERTIFICAçãO ISO 50001
07.07.2015

O compromisso com o desenvolvimento sustentável é levado a sério pelo Tribunal de Contas de Mato Grosso que é a primeira instituição pública do país a receber o reconhecimento da Associação Brasileira de Normas Técnicas por meio da Certificação ABNT NBR ISO 50001:2011 em seu sistema de Gestão de Energia. As ações implantadas pelo TCE-MT levaram à conquista de reduções no consumo de materiais recicláveis e na economia de energia. Em 2014 o TCE-MT alcançou 5% de redução no consumo de energia, o que corresponde a 137.280 kw/h. Nos últimos dois anos, a instituição reduziu 60% o consumo de copos descartáveis e 30% do uso de papel.

"É o reconhecimento do compromisso constante da instituição com a qualidade e a sustentabilidade"
WALDIR JÚLIO TEIS, PRESIDENTE DO TCE-MT

O presidente do TCE-MT, conselheiro Waldir Júlio Teis, conta que a conquista da Certificação ISO 50001:2011 "é o reconhecimento do compromisso constante da instituição com a qualidade e a sustentabilidade". O selo 50001:2011 é uma norma internacional de qualidade na gestão de energia adotada no Brasil pela ABNT em 2014. Atualmente, existem somente 11 empresas privadas com a certificação e apenas o TCE-MT entre as instituições públicas. Em junho deste ano o secretário Geral da Presidência do TCE-MT, Emanoel Gomes Bezerra Júnior, foi convidado a apresentar o Sistema de Gestão de Energia da instituição à equipe das Centrais Elétricas do Norte do Brasil S.A. (Eletronorte).

 LÂMPADAS LED

O objetivo de diminuir os impactos ambientais levou a Presidência do Tribunal de Contas a instituir a Comissão do Sistema de Gestão de Energia, pela Portaria nº 130/2014. Para superar o desafio, foram pensados programas de eficiência energética, promoção e adoção contínua de inovações tecnológicas em seus edifícios e instalações, sem redução de seus padrões de qualidade e da segurança no funcionamento.

Com o programa de troca de lampadas fluorescente por LED, foram trocadas 4.500 lâmpadas comuns, sendo investidos R$ 270 mil. Nesse sentido, o secretário executivo de Administração, Marcos José da Silva, explica que "as lâmpadas comuns levam mercúrio e chumbo em sua fabricação e podem prejudicar a saúde, além de causar danos ao meio ambiente se o descarte não for o correto". Assim, o TCE-MT doou as lâmpadas inutilizadas à empresa especializada em Gerenciamento de Resíduos Eletrônicos, Ecotec.

Francisco Bayma Matos Junior
ASSESSOR DO NÚCLEO DE PATRIMÔNIO 
Ação sustentável: troca de garrafas 
PET por sacolas retornáveis no TCE

A ação realizada pelo Núcleo de Patrimônio, levou à economia de 5% no consumo de energia e a meta para 2015 é chegar à redução de 10% com a instalação dos sensores de presença. Está em andamento a implantação de um sistema de monitoramento do gasto energético que será capaz de verificar lâmpadas e demais aparelhos eletrônicos que estejam ligados fora dos horários de expediente e desligá-los.

Medidas também estão sendo tomadas para reduzir o desperdício de água. Recentemente, o Tribunal adquiriu um aparelho chamado Geofone que identifica vazamentos da água no prédio. O coordenador do Núcleo de Patrimônio, Marcelo Catalano Corrêa conta que "o aparelho é de alta tecnologia e o Núcleo estabeleceu uma rotina mensal para verificar vazamentos, além das verificações pontuais quando for necessário".O próximo passo é a instalação já no segundo semestre deste ano de um projeto de captação de água da chuva para ser reutilizada na área externa do TCE-MT.

Para reduzir em 60% o consumo de copos plásticos, foram distribuídas canecas sustentáveis a todos os servidores. "Esta como tantas outras inciativas tem um caráter educativo, nem sempre a ação resulta em economia financeira significativa, mas em mudança cultural, pois influenciar pessoas a serem mais responsáveis com o meio ambiente é algo não tem preço", conta o assessor do núcleo de Patrimônio, Francisco Bayma Matos Junior.

O Núcleo de Qualidade de Vida no Trabalho, liderado por Estela Rosa Biancardi, também é uma das unidades do Tribunal de Contas de Mato Grosso precursoras na realização de ações comprometidas com o desenvolvimento sustentável. Por meio da adoção da Agenda Ambiental da Administração Pública, A3P, em 4 anos a instituição recolheu mais de 2 toneladas de plástico e 18 toneladas de papel que foram encaminhados para reciclagem. "Ou seja, são mais de 20 toneladas de matéria-prima que poderia estar poluindo o meio ambiente e está gerando empregos e sendo reutilizada", diz Estela Biancardi.

Tabela com a quantidade de materiais que estariam no lixo comum e tiveram uma destinação sustentável

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade