OSCAR PEDE APOIO DA CASA CIVIL PARA CRIAR CARREIRA DE PROCURADORES AUTáRQUICOS
05.12.2015

O deputado estadual Oscar Bezerra (PSB) se reuniu com o secretário-chefe da Casa Civil, Paulo Taques, nesta quinta-feira (3) para apresentar a Proposta de Emenda à Constituição (PEC) 18/2015, de sua autoria, que cria a carreira de procuradores autárquicos em Mato Grosso. O parlamentar também solicitou apoio político para a matéria. O secretário firmou compromisso de estudar a proposta para apresentar seu posicionamento.

O presidente da Associação dos Procuradores Autárquicos e Fundacionais (APAFMT), advogado do Instituto de Defesa Agropecuária (Indea), Marcelo Galvão, explicou ao secretário Paulo Taques que a PEC 18 é um pleito antigo, com mais de 20 anos de luta pelos advogados públicos.

Já o advogado do Instituto de Terras de Mato Grosso (Intermat), Diogo Edigio Sachs, defendeu que a ideia da PEC é ter a mesma simetria da União, a exemplo do que foi constituído na Advocacia-Geral da União (AGU), estruturada pelo ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes.

“O ministro Gilmar Mendes trabalhou a advocacia direta, com procuradores federais para cuidar da administração indireta, mas são os estados que regulamentam os órgãos da administração direta e indireta, então a definição desta questão das autarquias é responsabilidade do ente federado”, explicou Diogo.

Conforme Diogo, a Constituição não veda que a defesa dos órgãos indiretos seja realizada pelos próprios advogados concursados destas autarquias e fundações.

“A PEC 80 de autoria do deputado federal Valtenir Pereira já está na discussão de mérito porque a Comissão de Constituição e Justiça (CCJ) disse que é competente, então já foi superado se é constitucional ou não”, ressaltou.

Entre os exemplos citados de prejuízos ao Estado, estão ações que o governo perdeu, pois a Justiça não considerou legítima a defesa realizada pela Procuradoria Geral do Estado (PGE). Uma dessas ações gerou multa de R$ 14 milhões ao Indea.

“Não queremos uma divisão e sim trabalhar em conjunto, porque existem ações que estão perdendo prazo ou sendo anuladas por este conflito, e nós queremos dar esta celeridade aos trabalhos da PGE para que possamos representar nossas autarquias e fundações em juízo, pois já realizamos este trabalho de defesa”, ressaltou Marcelo Galvão.

Para o deputado estadual Oscar Bezerra, não há que se pretender a equiparação salarial porque são carreiras distintas, tendo em vista que o impacto econômico é uma das preocupações do governo.

“Não tem que se pretender a equiparação salarial pois são carreiras distintas, são apenas 36 advogados de autarquias e fundações que ingressariam na carreira de procuradores autárquicos e a questão da regulamentação desta carreira é responsabilidade do próprio governo do estado através de lei complementar”, destacou.

Na oportunidade, o deputado também adiantou que a Assembleia Legislativa irá sustar decreto do governador Pedro Taques que atribui exclusivamente pela Advocacia-Geral do Estado à PGE.

O secretário-chefe da Casa Civil agradeceu a exposição realizada sobre a PEC 18 e disse que irá avaliar com cautela e atenção toda a matéria.

“Quando tiver uma opinião formada, irei comunicar meu posicionamento sobre a PEC para responder sobre o apoio, mas vi absoluta razoabilidade no que foi exposto, não vi nada de ilegítimo, irei estudar o assunto e suas particularidades para definir uma visão mais apurada e me posicionar”, afirmou.

 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade