SEDUC PROMOVE PROJETO “NOVEMBRO NEGRO, CIDADãO”
10.11.2015

Memórias, estudos e debates dão o tom neste mês de novembro, período em que se celebra a história afrodescendente brasileira. Com o intuito de que as escolas promovam a valorização das diversas culturas de raízes africanas no decorrer do ano letivo, a Secretaria de Estado de Educação (Seduc) realiza pela primeira vez o projeto “Novembro Negro, cidadão”, entre os dias 09 e 28 de novembro. 

A abertura oficial do evento ocorre nessa terça-feira (10.11) às 15h, no auditório da Escola Estadual Presidente Médici e contará apresentação de poesias dos estudantes da escola e de jovens da comunidade quilombola de Mata Cavalo, do município de Nossa Senhora do Livramento, que irão apresentar danças que representam a cultura afro-brasileira. Palestras ministradas por representantes da Seduc, do Conselho Estadual de Promoção da Igualdade Racial e do Conselho Municipal de Política Racial de Várzea Grande compõe a programação gratuita e aberta à comunidade. 

O projeto “Novembro Negro, Cidadão” surge com a finalidade de fortalecer a implementação da Lei Federal nº. 10.639/2003 em todas as escolas estaduais de Mato Grosso, por meio da sensibilização e consciência educacional dos professores. A lei torna obrigatório o ensino da História e Cultura Africana e Afro-brasileira nas escolas de ensino fundamental e médio de todo país. 

Programação 

Nesta primeira vez, o projeto percorrerá 12 escolas de Cuiabá e Várzea, e a Seduc irá trabalhar ações integradas às diversas instituições e movimentos negros dentro da programação do projeto Novembro Negro, cidadão. 

Na última sexta-feira (06.11), a Seduc participou do evento “Consciência negra contra o racismo e nas relações raciais” realizado pela Secretaria de Estado de Justiça e Direitos Humanos (Sejudh) em alusão ao Dia da Consciência Negra, comemorado em 20 de novembro. 

A parceria das duas secretarias promove o projeto “Novembro Negro, Cidadão”, dentro do Centro de Ressocialização da Capital (CRC), para alunos e profissionais da Escola Estadual Nova Chance na próxima sexta-feira (13.11). Na mesma data, diversas associações e grupos de cultura negra realizam apresentações no projeto Kizomba, na Praça Alencastro. 

Entre os dias 16 e 18 de novembro, profissionais da educação de todo o Estado participam da IX Jornada das Desigualdades Raciais, no Instituto de Educação da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT). Esta será uma jornada de formação continuada em relação às diversidades raciais. O evento realizará a culminância pedagógica de todas as atividades do ano sobre a Lei 10.639/2003. 

Luta 

O mês é simbólico na luta pela igualdade racial, com destaque para o Dia da Consciência Negra, celebrado em 20 de novembro no Brasil. Nessa mesma data, em 1695, Zumbi dos Palmares foi morto. Ele foi o último líder do Quilombo dos Palmares, um dos maiores locais de resistência do povo negro contra a escravidão. 

Passados 320 anos da morte de Zumbi, a superintendente de Diversidades Educacionais, Gonçalina Eva Almeida, acredita que a discriminação contra as pessoas negras no país é preocupante. A afirmação da superintendente é subsidiada por dados do IBGE que apresenta taxas de homicídios três vezes maiores entre a população negra com idades entre 16 e 17 anos, em relação a de brancos com a mesma idade. Ou seja, a cada 100 mil jovens brancos 24,2 são assassinados, enquanto que entre os negros da mesma faixa etária a taxa sobe para 66,3. 

Para Gonçalina, esse tipo de crime é apenas um, entre muitos exemplos de que o preconceito racial persiste no país. Por isso, é imprescindível que a Seduc promova espaços de estudos e diálogos para que todos os servidores passem por um processo de conscientização da importância de discutir o tema. 

A meta da Secretaria é fortalecer os docentes para que possam trabalhar um currículo que inclua a orientação dos alunos sobre o tema preconceito racial e os traumas causados às pessoas que foram vítimas. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade