PREFEITURA DE TANGARá GASTA QUASE MEIO MILHãO POR ONZE CONJUNTOS DE MATERIAIS DIDáTICOS
05.02.2016

Gastos da pela Secretaria Municipal de Educação e Cultura (Semec) do município de Tangará da Serra na compra de Laboratório Interativo de Matemática – Fundamental I e II vem levantando suspeitas de superfaturamento. A gestão do prefeito Fábio Martins Junqueira (PMDB) gastou exatos R$ 397.650,00 na compra de 11 laboratórios, e isso no dia 31 de dezembro de 2014.

As escolas da rede municipal de Tangará da Serra têm utilizado unidades de projetos pedagógicos para melhoria do rendimento de alunos do ensino fundamental, porém, o alto custo pago pelo município pelos materiais apontam para um superfaturamento

A empresa V.A de Oliveira-ME com sede na cidade de Recife/PE, foi quem forneceu os materiais. Os Laboratórios foram entregues às escolas somente em 2015. O empenho ocorreu ao apagar das luzes de 2014, no valor exorbitante de R$ 397.650,00.

O valor foi empenhado para pagamento de 11 laboratórios que, segundo explica a Semec, é para formação continuada no contexto do plano de intervenção para melhoria dos índices do IDEB (Índice de Desenvolvimento da Educação Básica).

Os laboratórios consistem em dois armários para cada escola, com mapoteca, jogos e materiais didáticos diversos. Na média cada conjunto fornecido para as escolas municipais saíram por R$ 36.150,00.

A compra aconteceu quando a secretária de Educação era Iolanda Garcia, que já esteve envolvida em polêmicas, quando emprestou um ônibus da frota do transporte escolar para integrantes do Assentamento Antônio Conselheiro participarem de evento do Movimento dos Sem Terra (MST), o que resultou na saída do secretariado no ano passado,

Sobre o IDEB, Tangará da Serra se mantém numa linha intermediária, com índice de 5.4 (ao lado de Campo Novo do Parecis) na última medição, em 2013.

Fonte:olharmatogrosso.com.br

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade