MESTRE DE JIU-JITSU CARREGA TOCHA OLíMPICA EM CUIABá
24.06.2016

 

Com mais de quatro décadas de jiu-jitsu, Chicão é o mais graduado do estado

Francisco José Pessoa Fernandes, conhecido por milhares de discípulos pelo apelido carinhoso de "Chicão", o maior mestre de jiu-jitsu de Mato Grosso, único faixa coral do estado, conduziu a Tocha Olímpica em trajeto por Cuiabá.

 

 

 

 

 

 

O maior símbolo das Olimpíadas, que começará em agosto deste ano, no Rio de Janeiro (Brasil), passou pela capital mato-grossense na última quinta-feira (23.06), com show de acendimento da Pira Olímpica dentro da Arena Pantanal.

Mais de 140 pessoas conduziram a Tocha Olímpica em Cuiabá e Várzea Grande. Uma delas foi o Chicão, atual presidente da Federação Mato-grossense de Jiu-jitsu e Lutas Associadas (FMTJJLA), pai de dois atletas campeões mundiais da modalidade, Francisco Fernandes Junior (seis vezes campeão mundial) e Luzia Fernandes (quatro vezes). E, assim como Chicão, ambos os filhos também já tiveram a honra de carregar o fogo mais antigo da humanidade.

"Um orgulho enorme ser selecionado para participar de um evento de todas as nações. Agora somos em três da minha família que tiveram essa experiência memorável. Meus alunos ficaram revigorados e muito contentes com isso. Todos vem falar comigo sobre a tocha e tudo mais. Isso reforça o ânimo de emplacarmos atletas nas Olimpíadas. Nas escolares nós já conseguimos pelo Wrestling, a Luta Olímpica. E também conseguimos pelo Pan-Americano", comenta Chicão.

O trajeto começou no Comando da Brigada, na Avenida Historiador Rubens de Mendonça, e passou por trechos na Avenida do CPA, Prainha, Igreja de São Benedito, Igreja do Bom Despacho, Matriz, Comando Geral e Avenida Miguel Sutil até a chegada na Arena Pantanal. Encerrado com shows, entrega de prêmios, gincanas e a cerimônia de acendimento da Pira Olímpica. E, além do Chicão, outro escolhido para conduzir a Tocha foi o judoca David Moura.

"Como atleta tenho muito orgulho de ser um dos representantes da minha cidade natal. Essa é uma experiência muito forte. Minha vontade era de participar dos jogos e por pouco não consegui. A representatividade do fogo, que pode ser passado de mão em mão, sem que se perca, é a grande chave desse evento. Temos o poder de transformar as crianças e a juventude através desse fogo. Como aconteceu comigo e meu pai", diz o campeão Pan-Americano, David.

De acordo com o secretário municipal de Cultura, Esporte e Turismo, Alberto Machado, Cuiabá viverá um momento de plenitude, assim como o que foi vivenciado durante a Copa do Mundo de 2014. Segundo ele, é um momento histórico para a capital de Mato Grosso. E espera-se que a passagem sirva de inspiração e incentivo para a popularização do esporte, ao criar um ambiente agradável para as crianças. Uma missão complicada, mas possível de ser realizada.

 

Junior Martins / assessoria FMTJJLA 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade