EM VISITA A MIRASSOL D'OESTE NA MANHã DESTA SEXTA-FEIRA (10.03), O GOVERNADOR PEDRO TAQUES ANUNCIOU A REVITALIZAçãO DE 129 KM DE RODOVIAS ESTADUAIS (MTS 170, 175, 248 E 250) E A PAVIMENTAçãO DE MAIS 64 KM (MTS 343, 352 E 473) DE ESTRADAS DA REGIãO OESTE. O INVESTIMENTO TOTAL SERá DE R$ 110 MILHõES EM OBRAS REALIZADAS PELA SECRETARIA DE ESTADO DE INFRAESTRUTURA E LOGíSTICA (SINFRA). NA OPORTUNIDADE, TAQUES TAMBéM AUTORIZOU O INíCIO DA RECONSTRUçãO DO TREVO DO SONHO AZUL NA MT-175, QUE BENEFICIA 1
10.03.2017

Em pronunciamento nesta quinta-feira, o senador Wellington Fagundes (PR-MT), presidente da Frente Parlamentar de Logística em Transporte e Armazenagem (Frenlog) voltou a cobrar planejamento por parte do Governo para garantir um escoamento seguro da safra der grãos. Ele fez uma análise sobre os episódios ocorridos na BR-163, a partir da utilização dos portos do Norte do Brasil. “O problema do Pará não é problema só do Pará; é problema do Brasil” - disse.

Ao contrário do que foi publicado por parte da imprensa de Mato Grosso, Wellington Fagundes não culpou os produtores rurais pelos caos que ocorreu em 40 quilômetros não pavimentados na BR-163, no Estado do Pará. Criticou duramente a falta de armazéns para estocagem da produção e lembrou  que na época em que Neri Geller foi ministro da Agricultura se trabalhou um sistema programado para evitar perdas.

“Não dá para dizer que a culpa é desse ou a culpa é daquele. Na verdade, falta, sim, um planejamento do Governo” – disse, ao destacar o apoio político que tem o Governo Federal no momento. “Então, não dá para ficar aqui colocando a responsabilidade nesse ou naquele. A responsabilidade é de todos nós, homens públicos”.

Wellington destacou a importância que representa a efetivação dos portos do Arco Norte, principalmente para utilização do Porto de Miritituba (PA), para diminuir o custo do produtor brasileiro e mato-grossense. Daí, segundo ele, como líder da Frente Parlamentar, ter atuado junto com a bancada do Estado do Pará pela viabilização do empreendimento. “O que acontece no Brasil? No Brasil, nós não temos praticamente armazéns. Então, o produtor que está no Estado de Mato Grosso, no Centro-Oeste, como ele não consegue armazenar o produto, fica refém das grandes tradings nacionais e internacionais e tem que entregar o produto na colheita” – ele acrescentou.

Membro da Comissão de Agricultura do Senado, o senador mato-grossense destacou que é preciso corrigir essa falha no sistema de armazenamento. Hoje, segundo ele, “os caminhões são usados e utilizados para serem os armazéns” e lamentou que o produtor não tenha a opção de  vender o produto na hora certa e possa escolher, tendo essa condição, a hora certa para vender e, inclusive, para onde vai vender o seu produto”.

Fagundes reafirmou sua posição de vigilância em torno do tema e pediu que se acaba o sensacionalismo através da imprensa. Disse que seu objetivo será continar buscando “o resultado para que o cidadão que está lá produzindo, derramando o seu suor, às vezes até o seu sangue, tenha realmente um retorno através, nesse caso, da infraestrutura eficiente”.

Em seu pronunciamento, Wellington Fagundes fez questão de ressaltar o trabalho em parceria que vem sendo desenvolvido entre as bancadas de Mato Grosso e do Pará para viabilização de recursos exatamente serem investidos na BR-163. Sobretudo quando ocupou o cargo de relator da Lei de Diretrizes Orçamentárias (LDO). Mesmo com a crise fiscal, foi possível assegurar no Orçamento de 2017 o aumento de recursos para obras de infraestrutura.

“Da mesma forma que a BR-163 é extremamente importante para Mato Grosso, é muito importante também para o Pará” – acentuou

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade