POR TER SIDO ALVO DA OPERAçãO ARARATH, OAB/MT SUSPENDE PROCESSO DE INSCRIçãO DE JULIER
16.05.2014


 

A decisão foi tomada pelo secretário-geral da Câmara Julgadora da OAB/MT, Daniel Teixeira.

A Operação Ararath parecer ser ainda uma sombra que acompanha o ex-juiz Julier Seastião da Silva (PMDB), forte pré-candidato pelo PMDB a sucessão de Silval Barbosa (PMDB).

Por causa da busca e apreensão feita na residência e no gabinete quando magistrado, a Ordem dos Advogados do Brasil em Mato Grosso decidiu nesta quinta-feira (15) suspender o processo de inscrição para ele exercer a advocacia.

A decisão foi tomada pelo secretário-geral da Câmara Julgadora da OAB/MT, Daniel Teixeira. Segundo ele, alguns fatos não teriam sido levados em consideração no primeiro momento em que houve o deferimento para o processo de inscrição.

"Precisamos ter conhecimento de como está essa situação, já que houve busca e apreensão no gabinete dele. Precisamos saber como ele está figurando nessa situação", comentou. Teixeira também disse que Julier deve ser notificado para que ele apresente sua defesa e caso consiga reverter, o processo de inscrição volte a ser deferido.

O presidente da Ordem, Maurício Aude, disse que esse procedimento é comum em todo processo de inscrição. "Os pedidos, quando saem das Câmaras Julgadoras, passam pela Secretaria Geral. Assim como ocorre comumente, o secretário geral verificou que não foi considerado trâmite de inquérito no TRF que inclusive gerou busca e apreensão na casa do requerente da carteira. Sendo assim, compete ao conselho analisar de a carteira deve ou não ser concedida. Assim será feito. Será remetido ao conselho pleno para analise", revelou Aude.

ANÁLISE

Com a suspensão, o pedido agora será remetido para análise do Conselho Estadual. Apesar de na próxima semana haver uma reunião do órgão, segundo Aude, não terá tempo hábil para analisar o processo.

A previsão é que o pedido de inscrição de Julier nos quadros da entidade somente tenha uma decisão no mês de agosto.

OUTRO LADO

Julier, por meio de sua assessoria de imprensa, afirmou que a decisão causa "estranheza" por alguns aspectos. 

"A decisão foi tomada um dia após o colegiado ter decido por deferir a inscrição e ter solicitado a juntada de alguns documentos, inclusive o pedido de exoneração e os documentos referentes ao processo de busca e apreensão da Operação Ararath, em que o próprio desembargador que decidiu pela medida reconheceu posteriormente que houve excesso", disse.

Ainda conforme a assessoria, os documentos serão entregues a entidade que comprovarão que não há nenhuma irregularidade que possa criar obstáculo a sua inscrição nos quadros da OAB. Ele afirmou também que a decisão desta manhã é monocrática e pode ser revista.

Julier ainda destacou que espera que "essa decisão que suspendeu a sua inscrição não tenha nada a ver com o processo político eleitoral que esteja em andamento, por se tratar de uma entidade que goza de prestígio junto a sociedade". (Com Midiajur)

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade