SUíçA AMPLIA PROIBIçãO à CARNE BRASILEIRA PARA 21 UNIDADES DE PRODUçãO
26.03.2017

Suíça ampliou a proibição de importação de carne de 4 para 21 unidades processamento brasileiras, como parte de medidas de segurança em toda a Europa, disseram autoridades suíças neste domingo (26), segundo a agência Reuters.

Os peritos veterinários da UE recomendaram o reforço dos controles sobre as importações de carne do Brasil após denúncias da Polícia Federal sobre supostas propinas pagas para venda de produtos sem inspeção, no âmbito da Operação Carne Fraca.

Chefes dos serviços veterinários dos 28 Estados-membros da União Europeia reuniram-se em Bruxelas para discutir uma resposta da UE ao escândalo e ao risco da carne entrar no bloco.

"A extensão da proibição é uma resposta às medidas europeias, visando impedir que a carne chegue ao território da União Europeia via Suíça", disse uma porta-voz do escritório suíço de segurança alimentar e veterinária.

A Suíça já havia proibido na terça-feira (21) as importações de 4 unidades envolvidas no escândalo. Em 2016, o país importou US$ 49 milhões em carnes brasileiras.

 

Redução das restrições

 

No sábado (25), China, Chile e Egito disseram que vão reabrir os mercados para as carnes do Brasil, exceto para os 21 frigoríficos investigados pela Operação Carne Fraca. Anteriormente, os países tinham anunciado a suspensão para todas as empresas brasileiras.

Veja os principais países que ainda têm restrições:

 

  • China: retomou o comércio com exceção dos 21 frigoríficos investigados e de cargas liberadas por 7 fiscais suspeitos
  • Chile: também retirou o veto para carnes brasileiras, mas manteve a suspensão para frigoríficos investigados
  • Egito: vai retomar as importações com dupla checagem na saída e na chegada ao Egito
  • União Europeia: mandará de volta carne dos estabelecimentos citados que já estava a caminho da Europa. Representantes virão ao Basil para reuniões e visitas em unidades produtivas
  • África do Sul, Emirados Árabes, Japão e Peru têm restrições parciais
  • Argélia, Bahamas, Hong Kong, Jamaica, México, Panamá e Qatar suspenderam todas as importações
  • Arábia Saudita, Coreia do Sul, Estados Unidos, Malásia e Vietnã reforçaram o controle
  • Argentina, Barbados, Israel e Rússia pediram mais informações sobre frigoríficos

 

 

Carne Fraca

 

Considerada a maior operação da Polícia Federal, quando se fala em números, a Carne Fraca soma 309 mandados, sendo 37 de prisão. Do total, 36 suspeitos foram presos e apenas um continua foragido. Veja quem são todos os alvos.

A PF aponta um esquema de fraude na produção e comercialização de carne. Além de corrupção envolvendo fiscais do Ministério da Agricultura e produtores, a investigação encontrou indícios de adulteração de produtos e venda de carne vencida e estragada. Das 21 fábricas investigadas, 18 ficam no Paraná.

Há ainda a suspeita de que partidos políticos tenham sido beneficiados com o pagamento de propina.

 

 

Operação Carne Fraca (Foto: Editoria de Arte/G1)Operação Carne Fraca (Foto: Editoria de Arte/G1)

Operação Carne Fraca (Foto: Editoria de Arte/G1)

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade