JUIZ BLOQUEIA R$ 14 MILHõES DE SILVAL, NADAF, MéDICO E MAIS CINCO
09.05.2017

O juiz da Vara Especializada em Ação Civil Pública e Ação Popular, Luís Aparecido Bortolussi Júnior, determinou o bloqueio de R$ 14 milhões em bens e contas do do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e de outros sete acusados pelo Ministério Público Estadual (MPE) de envolvimento no suposto esquema de desvio de recursos investigado na operação Seven.

 

Datada do último dia 26, a decisão tem caráter liminar (provisório) e foi proferida em face à ação civil apresentada pelo MPE contra 14 pessoas.

 

Além de Silval, tiveram os bens bloqueados os ex-secretários de Estado Pedro Nadaf e Arnaldo Alves; o ex-secretário-adjunto de Administração, José de Jesus Nunes Cordeiro; o servidor público Francisval Akerley da Costa; o empresário e médico Filinto Correa da Costa e seu filho, o advogado João Celestino Correa da Costa Neto; e o procurador aposentado Francisco Gomes de Andrade Lima Filho, o "Chico Lima".

 

Silval, José Cordeiro e Chico Lima estão presos por conta de outra operação, a Sodoma.

 

Deflagrada em fevereiro de 2016, a operação – que também tem desdobramentos na esfera criminal – apurou denúncia de fraude e superfaturamento na compra de uma área rural de 727 hectares, localizada na região do Lago do Manso, que já pertencia ao Governo do Estado e foi adquirida novamente por R$ 7 milhões em 2014.

 

Também constam na lista de acusados pelo MPE, mas não foram atingidos pelo bloqueio dos bens o outro filho de Filinto Correa, Filinto Correa da Costa Neto; os ex-secretários de Estado José Lacerda e Marcel de Cursi; o ex-adjunto Wilson Gambogi Pinheiro Taques; o servidor público Claudio Takayuki Shida; o fazendeiro Roberto Peregrino Morales; o à época diretor do Sesc em Mato Grosso, Marcos Amorim da Silva, e a empresária Antônia Magna Batista da Rocha.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade