DIRETOR CHORA COM RISCO DE MORTE DE PACIENTES E CITA "CAOS" NA SAúDE
23.05.2017

O diretor-técnico do Hospital Regional de Sorriso (420 km de Cuaibá), o médico Roberto Satoshi, chorou em entrevista à imprensa local nesta segunda-feira (22), ao falar da situação caótica em que a unidade médica está passando (veja o vídeo no final da matéria).

 

O médico afirmaou que faltam medicamentos e até mesmo o gás medicinal necessário na Unidade de Terapia Intensiva (UTI) e para a realização de cirurgias, o que coloca em risco a vida de pacientes.

 

“Depois de 30 anos de formado, nunca imaginei passar por uma situação como essa. Eu não concordo com isso. O governo fala que pagou R$ 9 milhões, mas é referente ao ano passado. Esquece esses R$ 9 milhões e paga o que tá devendo de agora para frente. Nos autoriza a contratar funcionários novos, todo mês tem débito. Tem que haver previsão, um governo que não tem previsão, onde vamos parar?”, disse, em lágrimas.

 

Além disso, segundo ele, o estoque de comida está acabando e a empresa que fornece os gêneros alimentícios para o hospital não quer mais prestar o serviço.

 

“Quarta-feira a comida já vai estar no estoque zero, e vamos servir o quê? Água com barro?”

 

“Quinta ou sexta-feira o gás medicinal vai terminar, então aqueles pacientes que estão na UTI ou dependendo de respirador, ou até mesmo aqueles que vão precisar de centro cirúrgico e precisam de oxigênio, o que nós vamos fazer?”, afirmou.

 

Satoshi ainda disse que o hospital está no “fundo do poço” e sem alternativas.

 

“Eu pensei que nós estávamos no fundo do poço, mas descobri que o poço é bem mais fundo do que eu imaginava. Todo mundo está decepcionado e cabisbaixo. Meu choro é reflexo de todos”.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade