JUIZ CONDENA LOJA DE CALçADOS A PAGAR R$ 300 MIL A SHOPPING
25.05.2017

O juiz Gilberto Lopes Bussiki, da 9ª Vara Cível de Cuiabá, determinou que a Luciula Calçados e Acessórios Ltda. - que está em recuperação judicial - pague cerca de R$ 300 mil ao Shopping Três Américas. A dívida é referente ao aluguel do espaço onde funcionava uma das filiais da loja.

 

De acordo com a sentença, datada do último dia 10, os pagamentos não ocorriam desde fevereiro de 2016. No início de março deste ano a loja foi despejada, mas somente a partir da decisão do juiz o contrato de locação passa a ser considerado rescindido.

 

“Declaro rescindido o contrato de locação celebrado entre as partes, e por consequência, condeno o requerido [Luciula Calçados] ao pagamento dos valores dos aluguéis e encargos locatícios (condomínio) vencidos e não pagos, referente aos meses de Fevereiro/2016 até a data da desocupação do bem 02/03/2017, acrescido da multa contratual (Parágrafo 3º da Cláusula Sexta do Contrato) e correção monetária pelo INPC/IBGE a partir de cada vencimento e juros de mora de 1% a.m., a partir da citação”, escreveu o juiz.

 

No processo, a defesa do Shopping Três Américas, cujo um dos responsáveis é o advogado Lenine Póvoas Neto, afirmou que o contrato de locação foi firmado em julho de 2011 e teria vigência até julho de 2016.

 

A loja, no entanto, permaneceu no espaço até março deste ano, sendo que desde setembro do ano passado a administração do shopping vinha fazendo as cobranças. Na época, de acordo com o processo, um acordo verbal chegou a ser firmado, mas os cheques apresentados pela Luciula acabaram devolvidos por insuficiência de saldo.

 

Toda vez que uma empresa entra com um pedido de recuperação judicial, os credores ficam receosos com a possibilidade de ela não se reerguer e eles não receberem os créditos que possuem, mas isso não significa que receber seja impossível

Segundo o juiz, foi neste momento que a defesa do shopping “encaminhou notificação extrajudicial à requerida, solicitando o pagamento dos valores em aberto e desocupação da sala, por não ter mais interesse em aluga-la por ocasião de constantes inadimplementos, porém, sem êxito”.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade