PILOTO FOI AGREDIDO A CORONHADAS E MANTIDO EM CATIVEIRO ATé QUE AVIãO FOSSE VENDIDO A CRIMINOSOS
14.06.2017

O piloto Rogério Lana, de 61 anos, sequestrado no último dia 7 de junho, foi mantido em cativeiro em uma propriedade rural da Bolívia até que o avião Cesna, prefixo PR-ESC, pertencente ao Grupo Sesc, fosse ‘comercializado‘. Há suspeitas de que a aeronave tenha sido vendida a traficantes bolivianos.  As informações apuradas pelo Olhar Direto já foram reveladas à Polícia Federal, que instaurou inquérito para apurar o roubo e sequestro. O piloto foi rendido por um homem pouco depois de aterrizar o avião e uma pista na região de Porto Cercado, a 250 km de Cuiabá. 



Lana foi ouvido por mais de três horas na Superintendência da Polícia Federal, em Cuiabá, nesta semana. 
Conforme o Olhar Direto apurou, o piloto somente teve contato com um dos criminosos, que seria um líder de uma quadrilha.

O bandido agiu em diversas situações com extrema violência e em ocasiões distintas o agrediu com coronhadas na cabeça, além de realizar diversas ameaças a sua família e  somente libertou o piloto após a venda da aeronave. Durante o período de cativeiro, a família da vítima também foi ameaçada. 

Da propriedade rural, o piloto foi colocado em um barco e levado  para a cidade boliviana de Guayaramerín, que possui um porto situado na margem esquerda do rio Mamoré, em frente à cidade rondoniana de Guajará-Mirim, no Brasil. De lá, com ajuda de um motociclista, ele conseguiu um táxi e procurou ajuda das autoridades locais. Ainda não há informações sobre o paradeiro da aeronave.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade