DEPUTADO DIZ QUE ANTECIPAR RGA PODE ATRASAR FOLHA DE PAGAMENTO
19.06.2017

O deputado estadual Romoaldo Junior (PMDB) criticou o pedido de representantes dos servidores públicos, que solicitaram a antecipação do pagamento de parcelas dos 6,58% da Revisão Geral Anual (RGA) para este ano.

 

Pela proposta inicial do Governo do Estado, a RGA seria paga em duas parcelas de 2,15% e uma de 2,14%, nos meses de janeiro, abril e setembro de 2018, respectivamente. Após pressão dos sindicalistas, o Executivo propôs antecipar uma parcela para novembro deste ano. Além disso, ainda serão pagos em 2017 duas parcelas da reposição do ano passado.

 

“Estão sendo totalmente intransigentes. É ‘dá o meu aqui e o resto que se dane‘. Mas não é assim. Hoje a prioridade do Estado é por a Saúde para funcionar, está morrendo gente. Já estão todos de acordo em dar, mas dar de uma forma que não impacte na folha e ela seja atrasada e prejudicar mais a Saúde”, disse o parlamentar.

 

Estão sendo totalmente intransigentes. É dá o meu aqui e o resto que se dane. Mas não é assim

Segundo Romoaldo, o Governo não tem caixa, no momento, para pagar o valor anual da reposição, que chega a R$ 500 milhões. Ele defendeu “maturidade” na discussão.

 

“Tem que ter maturidade do Fórum Sindical. O governador já concordou em dar a RGA, mas dar no momento que tenha como pagar. Não adianta o Governo dar a RGA e não pagar mais a folha. Começar a atrasar”, afirmou.

 

“Tem que ter muita calma nessa hora. Nada de greve e não fazer a população pagar mais caro, porque não tem recursos. Não tem caixa para fazer frente a mais R$ 500 milhões na folha de pagamento”, disse.

 

Erros do passado

 

O peemedebista acredita que parte dos problemas para pagamento salarial está em leis aprovadas pela Assembleia Legislativa no passado.

 

“RGA é um direito do servidor. Ele tem que receber isso, não é só pela recuperação inflacionária, mas para garantir sua aposentadoria. Agora, o Estado não tem como pagar a RGA neste momento. Falo isso porque conheço os números”, afirmou.

 

“Quando aprovamos aqui algumas leis, como a dos professores, eu falava que lá na frente isso ia impactar de uma forma que não conseguiríamos dar a RGA. E o servidor, infelizmente, a primeira coisa que fala é em fazer greve. Mas não é assim. A greve só atrapalha uma categoria, que é o cidadão contribuinte”, completou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade