FABRIS DEFENDE NOVA FONTE DE INVESTIMENTO PARA SETOR DE SAúDE
07.06.2017

O vice-presidente da Assembleia Legislativa, deputado estadual Gilmar Fabris (PSD), defendeu nesta quarta-feira (7) que o governo do Estado busque novas fontes de financiamento para a Saúde.

 

O parlamentar defende que o Legislativo e o Executivo promovam diálogos com a classe produtora para avaliar a possibilidade de alteração do Fethab (Fundo Estadual de Transporte e Habitação) e assim permitir que parte do dinheiro arrecadado seja destinadá ao setor, que vive uma grave crise.

 

Assim, municípios e Estados atuariam em conjunto para atender as demandas do SUS (Sistema Único de Saúde), o que envolve procedimentos de atendimentos médicos, cirúrgicos e baixa e alta complexidade.

 

“Uma proposta que pode ser feita é destinar 80% do valor para estradas, 15% para a saúde pública e 5% para a habitação. Assim atenderemos as demandas das prefeituras para ampliar a estrutura de atendimento da Saúde pública. Isso depende de muito diálogo e disposição política, o que não falta ao Governo e ao Legislativo”, disse.

 

Nas últimas semanas, o Governo foi obrigado a remanejar dinheiro destinado a folha de pagamento do funcionalismo público para pagar uma dívida de R$ 162 milhões com os Municípios na área da saúde.

 

“Educação, Saúde e Segurança são prioridades da administração pública. Sabemos das dificuldades que o Estado enfrenta com Saúde pública, cujas demandas crescem a cada dia. Tenho certeza que o setor do agronegócio pode perfeitamente contribuir por meio de um amplo diálogo com todos os segmentos envolvidos”, afirmou.

 

Criado em 2000 na gestão do ex-governador Dante de Oliveira, o Fethab é a contribuição destinada a financiar o planejamento, a execução, o acompanhamento e avaliação de obras e serviços de transportes e habitação em todo o território mato-grossense. 

 

Em 2016, o governador Pedro Taques (PSDB) introduziu alterações que permitem ao Estado uma arrecadação anual de até R$ 950 milhões.

 

Atualmente o valor arrecadado é dividido em 50% para uso do Governo e os outros 50% (chamado de Fethab Rural) são destinados para as 141 prefeituras e devem ser investidos na melhoria das rotas de transporte escolar, habitação, saneamento, mobilidade urbana.

 

A cada quatro meses, os municípios se comprometem a prestar contas do dinheiro recebido pelo Estado.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade