SINDICATO DE MOTORISTAS DE ôNIBUS ESTUDA REDUZIR FROTA EM ADESãO à GREVE GERAL DO DIA 30
27.06.2017

O Sindicato dos Motoristas Profissionais e Trabalhadores em Empresas de Transporte Terrestre de Cuiabá e Região (Stettcr) estuda reduzir  a frota do transporte público na capital e Várzea Grande ou mesmo suspender às atividades pelo período de uma hora no próximo dia 30 de junho.  Na capital, a concentração será realizada na Praça Ipiranga,  a partir das 15h. 


No Brasil, a data foi escolhida para uma nova greve geral marcada por centrais sindicais e movimentos populares, em protesto contra as reformas da Previdência e Trabalhista e ainda  contra o governo Michel Temer. 

Ao Olhar Direto, o presidente da categoria Ledevino Conceição, explicou, nesta manhã, que ainda que os profissionais irão debater sobre a forma de aderir ao protesto. "Já demos nossa contribuição na primeira edição {quando os serviços foram suspensos em 100%} e vamos aderir, mas com  um diferencial dessa vez", explicou.  Diariamente, o sistema de transporte público disponibiliza 340 coletivos na capital e ainda 180 no intermunicipal (Várzea Grande/Cuiabá).

Em todo o Estado, os profissionais que atuam na rede bancária também aprovaram pela suspensão das atividades. 

Alex Rodrigues, vice-presidente do Sindicatod os Bancários de Mato Grosso, "a greve é um instrumento importante para demonstrar à insatisfação dos trabalhadores as reformas impostas pelo governo Michel Temer. "Este é o momento de pressionar e lutar pelos nossos direitos. O que está em jogo, não são apenas os direitos trabalhistas e previdenciários. O que está em jogo é o futuro do país, o patrimônio nacional e a democracia", afirma o dirigente sindical.

Os docentes da Universidade Federal de Mato Grosso também já anunciou à adesão ao movimento.
Para o professor Maurício Couto, diretor da Regional Pantanal do Andes, esse será um momento importante de diálogo, em especial, com os estudantes. “Eu tenho a impressão de que muitos estudantes não estão percebendo que a bomba vai cair em cima deles. As reformas vão atingir profundamente seus direitos”, afirmou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade