SEM RECEBER DE EMPRESA, GARIS INTERROMPEM COLETA DE LIXO
27.06.2017

Garis que atuam em Cuiabá interromperam a coleta de lixo nesta terça-feira (27). O motivo seria o descumprimento de obrigações trabalhistas pela empresa contratada para executar o serviço, a Ecopav Construções e Soluções Urbanas.

 

Além disso, os trabalhadores também alegam o risco de atraso nos salários em função de decisão cautelar do Tribunal de Contas de Mato Grosso (TCE-MT), que suspendeu pagamento de R$ 1,6 milhão, que seria feito pela Prefeitura de Cuiabá à empresa.

 

Por causa disso, a Prefeitura iniciou nesta manhã (27) uma operação emergencial para manter a coleta.

 

O prefeito Emanuel Pinheiro disse em sua página no Facebook que, assim que soube da paralisação, solicitou uma operação emergencial.

 

“Equipes montadas pela própria administração, com veículos e servidores, estão atuando emergencialmente na coleta do lixo urbano”, escreveu o prefeito.

 

Pinheiro lembrou ainda que já havia rescindido o contrato com a Ecopav.

 

“Uma das condicionantes para o distrato amigável é a manutenção do emprego e dos direitos trabalhistas”, disse.

 

O contrato foi rescindido no início do mês de junho e a segunda colocada na licitação foi convocada.

 

Em nota, a Prefeitura informou que está em negociação com o sindicato dos profissionais da coleta, com a Ecopav, com a provável substituta da empresa e também com o TCE-MT.

 

“Com isso, deixo claro que estamos trabalhando incessantemente em várias frentes para que o problema seja cessado o quanto antes buscando uma solução que atenda o interesse público, os direitos dos trabalhadores e a continuidade de um serviço de qualidade”, disse finalizou o prefeito.

 

A reportagem tentou entrar em contato com os trabalhadores, mas ninguém quis se pronunciar.

 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade