TAQUES Vê PATIFARIA EM GRAMPOS ILEGAIS E AVISA QUE TUDO SERá ESCLARECIDO EM MT
12.07.2017

O governador Pedro Taques (PSDB) voltou a negar na manhã de hoje qualquer envolvimento no episódio envolvendo grampos telefônicos ilegais em Mato Grosso nos últimos. “Não tenho absolutamente nada a ver com isso. Não grampeei e não mandei grampear ninguém", comentou em entrevista ao programa Chamada Geral (Mega Fm - 95,9).

Taques admitiu que houveram falhas no sistema de interceptações telefônicas e parafraseou o coordenador do Gaeco (Grupo de Atuação Especial contra o Crime Organizado), o promotor Marcos Bulhões, que expôs recentemente sua indignação om o caso. "Algo existiu aí e como disse o promotor Buhões, uma patifaria", comentou.

Segundo o governador, no final de 2015, o então secretário de Segurança Pública e promotor Mauro Zaque lhe comunicou de forma informal que o então comandante da Polícia Militar, o coronel Zaqueu Barbosa; e o secretário da Casa Militar, Airton Benedito Siqueira Júnior; estariam realizando grampos sobre autoridades, jornalistas, servidores públicos. À época, Taques pediu a Zaque que formalizasse a denúncia.

No entanto, de acordo com o governador, o promotor fez somente uma reclamação, sendo que outra não chegou às suas mãos, pois não teria passado pelo protocolo geral do Estado no palácio Paiaguás. "O que existe é que fui comunicado pelo então secretário de Segurança e como governador recebe fofoca todos os dias pedi para ele me colocar no papel.  O que ele colocou no papel, eu enviei ao Gaeco e a partir daí está fora da minha governança”, detalhou.

Em relação aos quatro coroneis presos e um cabo da Polícia Militar que seguem presos por ordem judicial por suposto envolvimento no caso, o governador garantiu acreditar na inococência de todos. "O secretário-chefe da Casa Militar está preso. O adjunto também está preso e quero dizer que confio nesses dois. Nós sabemos que a prisão não significa absolutamente nada porque existe a ampla defesa e o contraditório. O comandante da Polícia Militar à época, coronel Zaqueu, é um homem decente e a sociedade mato-grossense o conhece. Tenho absoluta certeza que isso será esclarecido”, disse.

Estão detidos em batalhões militares o cabo Gerson Luiz Correia Júnior; coronel aposentado Zaqueu Barbosa; o secretário-chefe afastado da Casa Militar, Evandro Lesco; o adjunto da pasta, Ronelson Jorge Barros, e o tenente-coronel Januário Batista. O cabo Euclides Torezan foi solto na tarde de ontem pelo desembargador Orlando Perri após entregar documentos e telefone para colaborar com a Justiça.

Também sofreram prisão administrativa o ex-corregedor-geral e o diretor de Inteligência da PM respectivamente, coronel Alexandre Mendes e tenente-coronel Victor Paulo Pereira. Eles foram soltos por decisão do juiz Bruno de Oliveira Marques.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade