TRIBUNAL DE JUSTIçA MANTéM INVESTIGADO NA RêMORA FORA DA CADEIA
12.07.2017

O Tribunal de Justiça de Mato Grosso negou a reforma da decisão que revogou prisão domiciliar em face de Moisés Dias da Silva, detido em maio de 2016 em conseqüência da Operação Rêmora. 

A decisão seguiu parecer do Ministério Púnlico de Mato Grosso. 
 

A magistrada Selma Rosane Arruda, da Sétima Vara Criminal, foi quem determinou a liberdade após o pagamento de fiança valorada em 25 salários mínios, equivalente a R$ 22 mil.

Selma Rosane também impôs medidas cautelares a serem cumpridas pelo ex- servidor comissionado da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) e da Assembleia Legislativa de Mato Grosso.

O pedido de reforma da decisão será examinado pela Segunda Câmara Criminal nesta quarta-feira (12).

A Operação Rêmora, conforme descrito pelo Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), buscou desmantelar uma organização criminosa que atuava em licitações e contratos administrativos de obras públicas de construção e reforma de escolas da Secretaria de Estado de Educação. As licitações utilizadas pelo cartel ultrapassam o montante de R$ 56 milhões.

O empresário Giovanni Guizardi, da Dínamo Construtora, os ex-servidores públicos Fábio Frigeri e Wander Luiz, e o ex-secretário de Educação, Permínio Pinto, Também foram presos na Rêmora.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade