ACUSADA CHORA E DIZ QUE ASSINAVA PAPéIS PARA O MARIDO SEM LER
12.07.2017

A empresária Shirlei Aparecida Matsouka Arrabal, investigada na Operação Castelo de Areia, afirmou que não participou do esquema de estelionato investigado pela Polícia Civil.

 

Em interrogatório ocorrido nesta quarta-feira (12), ela chorou e disse que apenas assinava papéis - sem ler - para o seu marido Walter Dias Magalhães Júnior, acusado de ser o líder das tratativas. 

 

A ação penal derivada da Castelo de Areia apura esquema de estelionato supostamente praticado por meio da empresa Soy Group em todo o Estado. De acordo com a denúncia do Ministério Público Estadual (MPE), o prejuízo às vítimas teria ultrapassado a marca dos R$ 50 milhões.

 

Alem de Shirlei e do marido, que está preso, são réus do processo o ex-vereador João Emanuel; o irmão do ex-vereador, o advogado Lázaro Roberto Moreira Lima; o pai dos dois, o juiz aposentado Irênio Lima; o empresário Marcelo de Melo Costa; o contador Evandro José Goulart; e o comerciante Mauro Chen Guo Quin.

 

Ele sempre teve essa vida aí, carros. Eu pensei que estava tudo normal

A audiência é conduzida pela juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital.

 

Confira como foi a audiência:

 

"Não sei do que estou sendo acusada" (atualizada às 14h24)

 

Shirlei Aparecida afirmou acreditar que a denúncia é falsa, mas que na verdade não sabe exatamente do que está sendo acusada. Ela relatou como conheceu o marido, Walter Magalhães.

 

"Eu tinha um apartamento e o Walter era amigo de uma pessoa conhecida minha que queria comprar o imóvel e nos conhecemos nessa negociação, passamos a nos encontrar".

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade