EMANUEL PREVê
19.07.2017

O prefeito de Cuiabá Emanuel Pinheiro (PMDB) descartou completamente a possibilidade de impedir a criação da Secretaria Extraordinária Cuiabá 300 anos. A data histórica do município será comemorada em 2019. 

Já aprovada pela Câmara Municipal, houve duras críticas de setores culturais e de parlamentares oposicionistas como Marcelo Bussiki e Gilberto Figueiredo, ambos do PSB, e Felipe Welaton (PV). 

Os parlamentares consideram desnecessário criar uma pasta que vai consumir gasto anual de R$ 1,4 milhão ultrapassando R$ 5 milhões durante o período de sua vigência. 

Ao alegar que a não criação está descartada, Emanuel Pinheiro comparou a medida com a atual situação política do país. “A probabilidade disso ocorrer é a mesma do presidente Michel Temer renunciar. Se ele renunciar, pode ser que algo mude”, disse. 

Questionado a respeito do gasto anual de R$ 1,4 milhão para manter a estrutura da Secretaria Extraordinária Cuiabá 300 anos que vai contar com 16 cargos, dos quais se dividem em secretário titular, diretores e assessores com salários variáveis na ordem de R$ 4 mil a R$ 12 mil, Emanuel Pinheiro diz que esses dados são irrelevantes quando comparado aos benefícios que serão trazidos ao município. 

“Pouco mais de R$ 1 milhão não é nada. Um evento, uma ação, uma obra que vou articular para os 300 anos, paga 10 vezes esse investimento. Abram a cabeça. Vocês são jovens, inteligentes, comunicadores. Está na hora de dar o boom que Cuiabá precisa ter. Vamos deixar de lado o complexo de inferioridade e vamos olhar Cuiabá do tamanho que ela é”, completou o peemedebista se dirigindo aos jornalistas que o questionavam. 

O prefeito ressaltou que a Secretaria Extraordinária Cuiabá 300 anos será imprescindível para articular a realização de obras, ações e projetos destinados às comemorações que não serão apenas festivas. 

O peemedebista também destacou que as medidas programadas deverão promover o crescimento econômico de Cuiabá, considerado estagnado nos últimos anos em decorrência da limitação financeira dos municípios e dependente de repasses federal e estadual. 

“Nós precisamos a andar com as próprias pernas e preparar Cuiabá para o futuro. Teremos que despertar esse gigante adormecido e o momento é agora. Vai ser um dos grandes desafios da pasta e talvez da minha gestão”, enfatizou.

Além disso, Emanuel considera a aprovação da Secretaria Extraordinária Cuiabá 300 anos como vitória política na Câmara. A proposta foi aprovada com 21 votos e somente três contrários. Somente Felipe Wellaton (PV), Marcelo Bussiki e Gilberto Figueiredo (ambos do PSB) votaram contra Emanuel. 

“Tenho muito orgulho da minha base na Câmara Municipal. Tem feito tudo para ajudar, tem feito tudo para destravar Cuiabá, tem feito tudo para construir esse novo momento da nossa cidade na construção de políticas públicas que promovam a humanização, a eficiência e qualidade dos serviços públicos”, concluiu. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade