PROPRIETáRIOS DE IMóVEIS “TRAVAM” DEMOLIçãO DA “ILHA DA BANANA” E WILSON RECLAMA DE BUROCRACIA
19.07.2017

O secretário de Estado das Cidades, Wilson Santos (PSDB), afirmou que não conseguiu cumprir o prazo de demolir todos os imóveis na região conhecida como “Ilha da Banana”, o Largo do Rosário, porque proprietários de seis imóveis conseguiram liminares na Justiça para evitar a derrubada dos bens.


“A vontade nossa é tão grande de trabalhar que a gente esquece que existe tanta etapa burocrática. Lá no Largo do Rosário nós dizemos que íamos demolir e tal em 30 dias. Realmente nós cumprimos em relação a população em situação de rua, só que tem seis imóveis cujos proprietários conseguiram liminares. Aí foge à nossa vontade. É alheio à nossa vontade. Você quer trabalhar, ta lá com a máquina parada, paga horrores por hora e não pode demolir”, disse Wilson Santos,  na manhã de quarta-feira (18).

De acordo com o secretário, a discussão é toda acerca do valor pago pela desapropriação. Os proprietários dos imóveis querem um valor maior do que o oferecido. Entretanto, o Governo trabalha com teto de pagamento igual ao valor venal estipulado pelo Imposto Territorial e Predial Urbano.

Em paralelo a isso, Wilson tem liderados discussões sobre a revitalização da área, para voltar a consolidá-la como Largo do Rosário e promover a ocupação do espaço público. O Consórcio VLT Cuiabá doou, ainda antes da gestão Pedro Taques (PSDB), um projeto para construção de uma praça no local.

Já foram realizadas duas reuniões com representantes da sociedade civil para discutir o tema e uma próxima deve contar com a presença do autor do projeto. A idéia é construir uma Praça em quatro pavimentos, com mirantes, arborização e monumentos que remeta a história cuiabana.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade