FOCO DE DISSIDENTES DO PSB EM MATO GROSSO NO 2º SEMESTRE SERá RETOMAR O PARTIDO, DIZ FABIO GARCIA
01.08.2017

A peleja do deputado federal Fabio Garcia para retomar o comando de seu partido em Mato Grosso, o PSB, continua neste 2º semestre. Em meio a uma novela sem fim, o parlamentar e seu grupo político, dissidentes da sigla, estão projetando suas expectativas em uma supressão, por parte da Justiça, da decisão que colocou o também deputado Valtenir Pereira de volta à presidência estadual do partido.

“Não temos nada encaminhado, o meu único foco nesse momento é recorrer da decisão que anulou o meu retorno para a presidência. Enquanto tivermos condições de lutar na Justiça, é isso que vamos fazer”, disse o deputado, ao Olhar Direto, nesta terça-feira (01).

Garcia tinha recuperado a presidência do partido graças a uma decisão, em caráter liminar, proferida pelo juiz Emerson Luis Pereira Cajango no dia 17 de julho. Todavia, a Executiva Nacional do partido, como era de se esperar, recorreu.

E pouco mais de uma semana depois, no dia 26 de julho, o juiz Wagner Pessoa Vieira, de Brasília, decretou a nulidade da decisão de Cajango. Com isso, Valtenir Pereira resgatou o posto para o qual foi nomeado pelo presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira.

A decisão, no entanto, não é definitiva nem mesmo no 1º grau da Justiça. O magistrado reconheceu Brasília como foro adequado para discussão do caso, uma vez que se trata de uma decisão da Executiva Nacional do PSB, mas vai analisar novamente o pedido de liminar impetrado por Fabio Garcia.

Contudo, o juiz acredita serem necessários mais documentos para tomada de decisão, mesmo em caráter liminar, e determinou que Garcia faça suas retificações no prazo máximo de 15 dias.

“Ainda não conversamos [o grupo] sobre as eleições nacionais, nem sobre o que vamos fazer caso não dê para ficar no partido. Eu estou confiante e acredito na Justiça. Sair do PSB é a nossa última opção, porque gostamos do partido, ajudamos a construir o que o PSB é hoje em Mato Grosso e não vamos entrega-lo de bandeja”, alfinetou o deputado, que nunca engoliu a volta de Valtenir para o PSB.

Valtenir, que deixou o PSB em 2013, voltou para o partido a convite do presidente nacional da sigla, Carlos Siqueira, o mesmo que dissolveu a executiva estadual que era comandada pelo deputado federal Fabio Garcia e todo o grupo reunido por Mauro Mendes - Eduardo Botelho, Oscar Bezerra, Max Russi e Mauro Savi, entre outros.

Ligado ao vice-governador de São Paulo, Márcio França, o grupo de Fabio Garcia aposta, ainda, na eleição nacional do PSB, a ser realizada em outubro. Já Valtenir é amigo de Carlos Siqueira, atual presidente e que deve tentar a reeleição. Enquanto não há definição nacional, o comando estadual é disputado judicialmente.

Entenda
 
Fabio Garcia, assim como outros três deputados federais, foram destituídos de seus respectivos diretórios ao contrariar a Executiva Nacional e votarem favorável a Reforma Trabalhista. O diretório nacional havia orientado todos os parlamentares a se posicionarem contra o texto proposto pelo presidente Michel Temer (PMDB).
 
Além de Fabio, perderam cargos partidários: Mauro Mendes, presidente de honra e Secretário de Formação Política; Adilton Saquetti, vice-presidente; Adriano Müller, secretário-geral, Max Russi, secretário de Finanças; Eduardo Botelho, secretário de Movimento Partidário; e Oscar Bezerra, secretário de Organização Partidária.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade