VEREADOR ALERTA PARA CAOS NA SAúDE EM CUIABá
15.08.2017

 

Hospitais filantrópicos de Cuiabá e Rondonópolis vão paralisar as atividades nesta sexta-feira (18.08) por falta de repasse de recursos financeiros pelo governo do Estado de Mato Grosso, conforme um comunicado oficial. O vereador Paulo Araújo (PP) alerta para o caos da saúde pública que está por vir com o fechamento da Santa Casa de Misericórdia, Hospital Geral Universitário (HGU), Hospital Santa Helena, Hospital do Câncer, todos em Cuiabá, e a Santa Casa de Rondonópolis, a 218 km da capital. E faz um chamamento nominal de todos os vereadores para buscar ajustes quanto a esta deficiência.

"Nós estamos próximos, talvez da maior crise da saúde pública dos últimos anos do Estado de Mato Grosso. Vou dar um exemplo do hospital Santa Helena: a maternidade conveniada pelo SUS, caso venha a fechar suas portas, a partir da sexta-feira, nós não temos capacidade instalada para direcionar este atendimento para outra unidade. Uma vez que a outra unidade, que é o Hospital Geral Universitário, que poderia atender esta demanda, também vai estar com as portas fechadas", salienta o vereador Paulo Araújo.

Paulo Araújo nominou e convocou todos os vereadores, independente de sigla partidária, parta esta problemática na sessão plenária da Câmara Municipal de Cuiabá, desta terça-feira (15.08).

Fora o pré anúncio de fechamento dos outros hospitais administrados pelos municípios.

"Nós estamos vivenciando por uma crise de relacionamento institucional, de recados mandados pelos dois lados, três lados, pela mídia. E nós como vereadores e representantes da população de Cuiabá temos que assumir o compromisso de participar ativamente e buscar alternativa urgente para essa crise que está bem aí. Eu falei da obstetrícia, mas nós temos também os atendimentos de urgência e emergência, de UTI e aqueles procedimentos de cirurgia eletiva", ressalta o vereador.

Pelo menos 65% dos atendimentos dos hospitais filantrópicos são de pacientes do interior de Mato Grosso, logo esta população é que será a maior prejudicada. O Hospital e Pronto Socorro Municipal de Cuiabá, por sua vez, fica com 50% da população de Cuiabá, mais 50% do interior.

Paulo Araújo fez outro alerta, onde o município de Cuiabá pode ainda optar em devolver todo o serviço de média e alta complexidade e o atendimento do interior para o governo do Estado de Mato Grosso.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade