ESTADO BUSCA ALTERNATIVAS PARA EVITAR "FECHAMENTO" DE HOSPITAIS FILANTRóPICOS
16.08.2017

A suspensão dos atendimentos de quatros hospitais filantrópicos em Cuiabá devido à falta de repasse dos recursos financeiros pelo governo do Estado volta a afetar a imagem do Executivo. Segundo a Federação dos Hospitais Filantrópicos de Mato Grosso, o montante das dívidas ultrapassa de R$ 10 milhões. 

O líder do governo da Assembleia Legislativa, deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), reconheceu a importância do aporte financeiro do Estado, mas avalia que a responsabilidade também cabe às prefeituras.  “Cabe também responsabilidade das prefeituras, já que atende muito as necessidades da população do município e por isso temos que se fazer uma análise. Mas o governo vem ajudando mesmo não sendo dever do Estado e vai continuar, até pela comoção popular”, pontuou. 

A Secretaria Estadual de Saúde (SES) informou na semana passada que o Executivo não tinha a responsabilidade de repassar recursos aos hospitais filantrópicos, mas autorizou a transferência emergencial de R$ 7,5 milhões no início deste ano. Os repasses, porém, foram suspensos devido à dificuldade financeira do governo. “Estamos em uma grande dificuldade financeira e o governo tem proposta para que se busque o dinheiro novo para resolver o problema de saúde pública. Não só para os filantrópicos, mas também os Hospitais Regionais - de responsabilidade do Estado -, e os repasses aos municípios. Nós temos que buscar saídas”, reconheceu Dilmar.

Para o parlamentar, é preciso fazer uma revisão da contribuição, inclusive, do governo federal quanto aos serviços prestados pelos hospitais filantrópicos. No entanto, garantiu que o governo do Estado irá buscar saídas para continuar o repasse, mesmo sem a obrigatoriedade. “Nós temos que tomar providência e rever o que por Lei o governo tem que repassar. Agora, os hospitais filantrópicos querem trabalhar no sistema SUS e cabe ao governo federal, repassar pelos serviços prestados. Mas é claro, contará com um auxílio do governo do Estado”, assinala o líder do Governo.

A crise dos hospitais filantrópicos já dura mais de 10 dias, quando suspenderam os atendimentos nas UTIs. Para a próxima sexta-feira, eles devem interromper qualquer tipo de atendimento aos pacientes do SUS caso os repasses não sejam realizados.

 Os hospitais que ameaçam interromper as atividades são: Santa Helena, Hospital Geral, Santa Casa de Cuiabá e de Rondonópolis.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade