“O STF ERROU E Só TEMOS UM CAMINHO: O FINANCIAMENTO PúBLICO”
22.08.2017

O presidente regional do PMDB, deputado federal Carlos Bezerra, defendeu que a aprovação de um fundo público de R$ 3,6 bilhões para o custeio da campanha de 2018 é a única saída para os postulantes a cargos eletivos.

 

Para ele, o fundo não seria necessário se o Supremo Tribunal Federal (STF) não tivesse proibido que empresas pudessem fazer doações para partidos e candidatos. O peemedebista disse que a decisão foi um “erro”.

 

“Hoje a única forma é o financiamento público. Todos sabem que a campanha tem custo, não se faz campanha sem gastar. Isso é impossível. Então, a solução vai ser o financiamento público, que está sendo trabalhado no Congresso”, disse Bezerra.

 

“A decisão do Supremo proibiu tudo definitivamente. Acho que foi uma precipitação, um erro. E hoje só temos um caminho: o financiamento público de campanha”, completou.

 

A decisão do Supremo proibiu tudo definitivamente. Acho que foi uma precipitação, um erro

Após a decisão do STF, a Câmara ainda aprovou uma Proposta de Emenda à Constituição (PEC) para tentar contornar a decisão e autorizar novamente o financiamento privado. Entretanto, a proposta está parada no Senado.  

 

Para Bezerra, o financiamento público poderia ser rediscutido, aplicando critérios mais rígidos.

 

“Eu acho que isso teria que ser rediscutido. Colocar critérios para evitar que essa ajuda política se transforme em influencia na administração pública. Neutralizar isso. Por exemplo, empresas que contratam serviço público estão proibidas de financiar campanha. Esse é um critério, poderia haver outros”, defendeu.

 

“A Câmara tem sido um pouco deficiente nisso. Não está cumprindo seu papel no devido tempo. Vai levando com a barriga e aí vem uma decisão do Judiciário, uma decisão drástica como esta. Uma decisão que a Câmara poderia ter aperfeiçoado”, completou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade