SILVAL RECLAMOU DE ABANDONO PARA SENADOR DO PMDB
30.08.2017

O presidente Nacional do PMDB, senador Valdir Raup (PMDB-RO) visitou o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) no período em que esteve preso no Centro de Custódia de Cuiabá. A informação consta na delação premiada firmada pelo ex-gestor junto a Procuradoria Geral da Republica e homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). 

De acordo com Silval, a visita teria ocorrido no final do ano passado. Até então, o peemedebista afirma que não havia recebido a visita de nenhuma figura política, com exceção do deputado federal Carlos Bezerra (PMDB). 

O ex-governador afirma que ficou surpreso com a visita de Raup, tendo em vista que os correligionários peemedebistas não haviam se mostrado solidários com ele. 

Silval afirma que na oportunidade relatou ao senador que estava se sentindo abandonado pelos seus aliados, uma vez que só havia recebido a visita de Bezerra em mais de um ano preso. 

“O declarante relatou ao Senador Valdir Raupp que em mais de um ano de prisão, não havia recebido a visita de praticamente ninguém, o que Valdir Raupp também achou um absurdo”, diz trecho do documento. 

Uma semana depois da visita de Raupp, o ex-governador afirma que recebeu a visita do senador Wellington Fagundes (PR). “Nessa visita Wellington ouviu o mesmo desabafo do declarante, no sentido de ter sido abandonado, momento em que Wellington Fagundes se colocou à disposição para ajudar no que fosse preciso e que ele precisava ser demandado para poder ajudar”, diz outra parte da delação. 

Com a veiculação da notícia de que ele estaria prestes a fechar delação premiada, Silval afirma que recebeu a visita do deputado estadual Gilmar Fabris (PSD), juntamente com seu advogado. 

Aproveitando a visita de Fabris, Silval afirma que pediu a ajuda financeira do deputado. A intenção do peemedebista era pleitear uma fiança para garantir a sua liberdade. 

“O Declarante argumentou com Gilmar Fabris para que este transferisse a casa para o nome do declarante ou a recomprasse. Que Gilmar Fabris disse ao declarante que não recompraria o imóvel, pois já estava construindo outra residência em Jurerê Internacional do gosto da família. Que a casa que o declarante se referiu nessa conversa é o imóvel de alto padrão localizado em Jurerê Internacional, registrado em nome de Valdir Piran”, explica Silval na delação. 

De acordo com Silval, ele comprou essa propriedade de Fabris no final de 2014, mas ainda não havia feito a transferência. O negócio, contudo, não foi feito. 

Dias depois, o ex-governador afirma que recebeu a visita do deputado estadual Romoaldo Junior (PMDB), o qual era considerado o seu aliado de primeira-mão quando estava a frente do Palácio Paiaguás. 

Na oportunidade, o peemedebista afirma que criticou o parlamentar por não ter prestado nenhum tipo de solidariedade, e ainda criticou o fato de os deputados peemedebista terem apoiado a abertura de diversas CPIs em seu desfavor. 

Após isso, as noticias de que Silval estaria em negociação com a Procuradoria Geral da Republica foram intensificadas, o que fez com que ele pedisse a seu filho que lhe arrumasse um gravador de voz. 

Com esse gravador registrou uma conversa com o senador Cidinho Santos (PR). 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade