MOTORISTAS DO UBER VOLTAM A PARALISAR EM CUIABá
30.08.2017

Motoristas da Uber paralisaram os serviços por 24 horas nas cidades de Cuiabá e Várzea Grande, entre meia noite de terça e de quarta-feira. O protesto foi uma reivindicação pela redução da tarifa. Atualmente os motoristas pagam o valor de 25% das corridas para oferecer os serviços. De acordo com a organização, a intenção é que a empresa reduza para apenas 15%. 

Outra proposta da categoria é igualar o valor do quilômetro rodado em Cuiabá e Várzea Grande. De acordo com motoristas, na Cidade Industrial a corrida custa R$ 1,05 o quilômetro rodado e na capital R$ 1,20. 

“Pedimos uma tarifa igual para as duas cidades no valor de R$ 1,70 o quilômetro. Tentamos vários contatos com a empresa e não tivemos nenhuma resposta. Pedimos melhor assistência para os motoristas e principalmente segurança”, disse o motorista Uber Diego Trindade. 

Os motoristas pedem ainda maior segurança na hora de poder fazer o cadastro na empresa. Hoje a pessoa consegue se cadastrar apenas com o Cadastro de Pessoa Física (CPF). “Eles cobram o padrão Uber, mas não tem política nenhuma para aceitar novos motoristas. Hoje já somos mais de quatro mil, todo dia entra no mínimo uns 100 novos, não verificam antecedentes nem nada. Qualquer um com a CNH certinha hoje consegue ser um motorista”, diz a Uber Letícia Hermann. 

Em Cuiabá a plataforma passou a operar no dia 25 de novembro de 2016. A cidade foi a 32ª a receber a Uber. A cidade de Várzea Grande recebeu a implantação do aplicativo nove meses após os serviços iniciarem em Cuiabá. Na Cidade Industrial a operação iniciou no dia 18 deste mês com tarifas inclusive menores que na Capital. 

O serviço de Uber na cidade deve ser 15% mais baixo do que o cobrado em Cuiabá. Na Capital a tarifa base é de R$ 2,50, mais R$ 1,20 por quilômetro rodado, e por minuto de viagem, de R$ 0,15. Em Várzea Grande os valores são R$ 2,00, R$ 1,05 e R$ 0,10 respectivamente. 

Os motoristas reclamam da falta de suporte da empresa que conforme os mesmos “vendem apenas sonhos”, não condizendo com a realidade do dia-a-dia do motorista. 

Letícia confirma ainda que os motoristas do aplicativo cobram também por mais segurança. “Todo dia tem um carro roubado,um Uber sequestrado, então essa e a reivindicação mais importante, queremos segurança. Nós motoristas colocamos fotos tiradas diariamente, CNH, placa, cor , modelo do carro, várias coisas, e o cliente? Qualquer um com um número de CPF e um celular ai é cliente, então queremos uma política de segurança mais rígida, saber antecipadamente o destino para onde o passageiro esta indo”, diz a motorista. (AA) 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade