PAGAMENTO PARA EX-SERVIDORES DO BEMAT DESVIOU R$ 6 MILHõES PARA QUITAR DíVIDAS DE RIVA E SéRIO RICARDO
01.09.2017

Ao detalhar um esquema de desvio de dinheiro que serviu para pagar dívidas dos ex-deputados Sérgio Ricardo e José Riva, a memória de Silval falha. O ex-governador disse se lembrar remotamente do valor, mas recorda precisão dos fatos. Ao todo, o governador relata que o esquema levaria R$ 22 milhões dos cofres públicos, mas só conseguiu arrecadar R$ 6 milhões. 

Leia mais:
Delação de Silval prevê 20 anos de reclusão, mas nem um dia na cadeia


A negociata foi feita em cima de uma dívida que os ex-servidores do extinto Banco do Estado de Mato Grosso (Bemat) tinham com o governo. Silval prometeu pagar R$ 70 milhões aos advogados da Associação dos Servidores, em troca, eles deveriam devolver R$ 22 milhões.

O dinheiro serviria principalmente para pagar dívidas dos ex-deputados Sérgio Ricardo e José Riva. Os dois parlamentares contraírem débitos de R$ 8 a R$ 10 milhões com o empresário Avilmar de Araújo Costa, que operava no ramo de factoring com parlamentares da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT).

Depois de combinar o desvio com Riva e Ricardo, Silval marcou uma reunião com Avilmar. Na ocasião, os dois deputados emprestaram mais R$ 4 milhões com o empresário, a ideia seria que o novo empréstimo totalizasse R$ 18 milhões, valor a ser pago com ajuda do esquema.

“No entanto, Avilmar exigiu como garantia cheques do colaborador, tendo o colaborador entregue a ele 12 cheques no valor de R$ 1.500.000,00 cada um, tendo ainda Avilmar entregue nesse momento para o colaborador um cheque no valor de R$ 4 milhões, que era a diferença das dívidas com O valor que entraria na casa de R$ 23 milhões.”, diz o relatório sobre o depoimento de Silval.

A partir de então, o Estado começou a fazer os pagamentos. Quatro parcelas foram empenhadas. Mas uma denúncia de irregularidades fez com que a Justiça Federal cancelasse o procedimento. Neste ínterim, os pagamentos eram feitos pelos advogadas da Associação a José Riva, que depois repassava a Avilmar. Silval contou que o empresário recebeu cerca de R$ 6 milhões ilegalmente e que ele sabia da origem dos valores. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade