EX-SECRETáRIOS MONTAM MINERADORA COM DESVIOS NO PAIAGUáS
28.08.2017

Em delação premiada à Procuradoria Geral da República, o ex-governador Silval Barbosa (PMDB) revelou que recebeu propina em barras de ouro do ex-secretário da Casa Civil, Pedro Nadaf. De acordo com Silval, o valor do ouro recebido chega a R$ 500 mil.

No depoimento, o ex-governador contou que o ex-secretário é sócio de uma mineradora com o ex-presidente da Metamat (Companhia Matogrossense de Mineração), João Justino Paes de Barros. A empresa está situada na região Norte do Estado.

Ele afirma que, desde sua reeleição ao Governo, nomeou Nadaf em secretarias estratégias para poder fazer o recebimento da propina. Silval contou que, em 2013, o ex-secretário “lhe devia” cerca de R$ 500 mil por conta de alguns retornos.

Foi então que houve a proposta do pagamento ser feito através de ouro. “Pero Nadaf ofereceu ao declarante a possibilidade de receber sua parte através de ouro”, assinalou.

Silval contou que só neste momento soube que o ex-secretário era dono de uma mineradora, junto com o ex-presidente da Metamat e um geólogo. “Pedro Nadaf afirmou que teria sociedade em um garimpo com João Justino Paes de Barros no município de Novo Mundo, tendo o declarante aceitado receber sua parte do retorno em ouro”, frisou.

Depois da conversa, Silval Barbosa contou que recebeu entre quatro e cinco quilos de ouro das mãos de Pedro Nadaf. O pagamento foi feito por meio de “diversas barrinhas”.

Ele disse ainda que repassou o metal para seu irmão, Antônio da Cunha Barbosa. Ele foi responsável por “alienar” o ouro.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade