LICITAçãO DO LIXO SEGUE EMPERRADA EM CUIABá
14.09.2017

Faltando cerca de um mês para encerrar o contrato com a Locar, empresa de coleta de lixo de Cuiabá, uma nova licitação ainda não foi lançada. O contrato com a empresa é até o próximo mês e a promessa da prefeitura era de que até outubro estaria tudo definido. O novo contrato deve custar aproximadamente R$ 30 milhões por ano para o município. 

Mesmo sem nenhum edital lançado, a assessoria de comunicação informou que diversas empresas já se mostraram interessadas em realizar o certame. O documento estaria passando por correções, com expectativa de ser lançado na próxima semana para dar início ao chamamento das empresas. 

A empresa que assumir, além das habituais coletas, deve instalar lixeiras subterrâneas (até 160 por ano) e implantar a coleta seletiva em Cuiabá. A projeção é que seja pago de R$ 145 a R$ 160 a cada tonelada. Hoje Cuiabá produz em média 580 toneladas ao dia e 15 mil ao mês. 

Em relação às lixeiras subterrâneas, a estimativa de preço varia de R$ 100 mil a R$ 130 mil a unidade. Será realizada uma prospecção dos pontos em que essas lixeiras serão mais úteis. Com este modelo o lixo é lançado em um contêiner que fica no subsolo e num determinado momento um sistema aciona a empresa responsável pela coleta. Problemas como lixo espalhado pelas ruas, sacolas de dejetos rasgadas, entre outros, serão evitados. 

Além disso, a cidade deve contar com um programa de educação ambiental. O cidadão vai ter de separar o lixo seco e úmido. As primeiras regiões a receberem os novos equipamentos serão aquelas com maior concentração de pessoas e trânsito mais intenso. O edital também prevê um sistema de transparência na pesagem do lixo por meio de câmeras nas balanças. Qualquer cidadão poderá acessar através do celular. 

Atualmente a coleta é realizada pela empresa Locar e o contrato é válido até outubro. A Locar passou a operar na Capital após a Ecopav, que atuava desde 2012, pedir a rescisão do contrato. A empresa pedia um realinhamento financeiro e a prefeitura apresentou uma proposta que não foi aceita pela Ecopav. Por ano o contrato com esta empresa girava em torno de R$ 20 milhões. A prefeitura e a empresa então optaram por uma rescisão amigável. No dia 08 de julho a Locar passou a realizar a coleta na Capital pelo valor de R$ 1,7 milhão ao mês.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade