ADVOGADOS DE SILVAL PEDEM QUE SUPREMO DETERMINE PRISãO DE EMANUEL PINHEIRO POR OBSTRUçãO
27.09.2017

Os advogados do ex-governador Silval Barbosa e do ex-chefe de gabinete Silvio César Araújo pediram ao Supremo Tribunal Federal a prisão do prefeito de Cuiabá, Emanuel Pinheiro.
 
Leia mais:
Emanuel pede ao STF reinterrogatório de Silval após áudio sobre mentiras em delação


O requerimento desta terça-feira (26) leva em conta uma suposta obstrução de Justiça cometida na gravação de uma conversa entre o ex-secretário de Estado Alan Zanatta e Silvio César.
 
O áudio apreendido pela Polícia Federal durante a Operação Malebolge na casa de Emanuel Pinheiro seria, conforme o prefeito, uma prova de que as delações omitiram fatos, selecionando versões e  manipulado contextos de imagens.
 
O chefe do Executivo municipal foi filmado recebendo maços de dinheiro.
 
Rebatendo versão de Emanuel, a defesa de Silval e Silvio salienta que o áudio foi gravado estrategicamente para tentar travar as investigações e anular as colaborações firmadas no Supremo Tribunal Federal.
 
Os delatores argumentam que Alan Zanatta, em conluio com Emanuel Pinheiro, teria gravado a conversa de forma forçosa para atrapalhar andamentos processuais.

"O vínculo entre Alan Zanatta e o atual prefeito vai muito além da ‘amizade‘, tendo Emanuel Pinheiro inclusive já o indicado a altos cargos de confiança, talvez daí o propósito altruístico, para não dizer supostamente criminoso, de Alan Zanatta querer agradar o seu intitulado ‘amigo‘, desta feita possivelmente com um novo propósito de ser alçado a outro cargo de confiança, já que como visto acima, trabalhou na ‘surdina‘ apoiando Emanuel Pinheiro nas últimas eleições municipais", afirma a petição.

No documento assinada por Délio Lins e Victor Alípio, advogados de Silval e Silvio, foi requerido que seja rejeitada a impugnação ao acordo de colaboração. Em vista a gravidade das condutas, também foi requerido que seja aberto procedimento específico para que se proceda à apuração do ocorrido.
 
Complementarmente a petição, Délio Lins e Victor Alípio requerem que seja analisada a possiblidade de eventual decretação de prisão preventiva, a fim de assegurar a correta tramitação da instrução processual.

O outro lado

A Secretaria de Comunicação da Prefeitura de Cuiabá informou que Emanuel Pinheiro trata sobre o caso na alçada pessoal. O prefeito deve se manifestar ainda hoje por meio de nota.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade