GUSTAVO GARCIA ASSUME SECRETARIA DE SEGURANçA PúBLICA APóS AFASTAMENTO DE ROGERS JARBAS
21.09.2017

O governador Pedro Taques (PSDB), que classificou como “esdrúxula” e “absurda” a decisão do desembargador Orlando Perri, que determinou o afastamento e o uso de tornozeleira eletrônica do secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Jarbas, afirmou que só irá substituir o titular da Pasta caso seja intimado pela Justiça. Caso essa intimação ocorra, o delegado Gustavo Garcia, que é adjunto da Sesp, assume o comando da Secretaria.

Leia mais:
Taques defende Jarbas, chama decisão de Perri de “esdrúxula” e promete acionar magistrado

“Ao que consta, Dr. Rogers vem a sofrer cautelares para substituir a prisão preventiva, tudo em opinião contrária ao Ministério Público. Ponto. O afastamento do Dr. Rogers é judicial. Eu, como governador do Estado, ainda sou governador, preciso ser intimado, não pela impressa ou pelo whatsapp, mas pelos meios próprios, para que eu possa tomar a decisão. Eu quero ser intimado da decisão como governador. Se eu receber a intimação, o substituto será o delegado Dr. Gustavo, que é adjunto da Pasta”, esclareceu o governador, em entrevista coletiva na noite desta terça-feira (20).

Gustavo Garcia, que já foi secretário adjunto de Inteligência e de Integração Operacional, atualmente comandava a Secretaria adjunta Executiva da Sesp. Ele é delegado da Polícia Civil de Mato Grosso, tendo atuado na delegacia municipal de Tabaporã, delegacia de Porto Esperidião (Gefron), Delegacia Municipal de Cáceres, Delegacia Especializada de Entorpecentes, onde foi designado como o responsável técnico pelo núcleo de inteligência operacional desta unidade.

Rogers foi afastado do cargo, nesta quarta-feira (10), acusado de estar atuando para prejudicar as investigações do caso dos grampos. A decisão, do desembargador Orlando Perri, diz que o secretário estaria repassado documentos sigilosos do inquérito policial ao governador Pedro Taques e ao ex secretário de Casa Civil, Paulo Taques.

“Portanto, não resta a menor dúvida de que o representado, valendo-se do cargo ocupado, vem agindo de maneira incisiva e direta no sentido de beneficiar seus aliados, determinando o fornecimento de documentos até então sigilosos, em detrimento das investigações levadas a efeito pelas autoridades policiais”, diz Perri, na decisão.

Perfil

Gustavo Garcia possui graduação em Direito pela Universidade Federal do Rio de Janeiro ,foi inspetor da polícia civil do Estado do Rio de Janeiro e escrivão da Polícia Federal na Superintendência Regional em Cuiabá.

Atualmente, é delegado da Polícia Civil no Estado de Mato Grosso, tendo atuado na delegacia municipal de Tabaporã, delegacia de Porto Esperidião (Gefron), Delegacia Municipal de Cáceres, Delegacia Especializada de Entorpecentes, onde foi designado como o responsável técnico pelo núcleo de inteligência operacional desta unidade.

Ainda na atividade de inteligência, foi o chefe do núcleo de inteligência da delegacia regional de Cuiabá e coordenador da diretoria de inteligência da Polícia Judiciária Civil. É professor das disciplinas Inteligência e investigações de tráfico de drogas da academia da polícia Judiciária Civil do Estado de Mato Grosso.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade