NOVA GRAVAçãO AMEAçA DELAçãO DE EX-GOVERNADOR SILVAL BARBOSA
22.09.2017

A Folha de São Paulo publica hoje, 21, reportagem que poderá ocasionar a anulação de delação do ex-chefe de gabinete Silvio Corrêa e do ex-governador de Mato Grosso, Silval Barbosa. Segundo a matéria, assinada pelo jornalista Pablo Rodrigo, Silvio pode ter sido omisso no processo de delação perante o Supremo Tribunal Federal (STF).

A homologação foi assinada perente ao ministro Luiz Fux. Como repercussão do material gravado por ambos, no último dia 14, a Polícia Federal desencadeou a 12ª fase da operação Ararath, que resultou no cumprimento de 64 ordens judiciais contra políticos citados por Silval que se beneficiaram de um esquema de pagamentos de ‘mensalinhos‘ que visavam garantir a governabilidade de sua gestão. 

Veja a íntegra da matéria abaixo:
 

O ex-chefe de gabinete Silvio Corrêa, delator que gravou políticos de Mato Grosso recebendo maços de dinheiro vivo, foi gravado em áudio que pode acabar anulando a sua e a delação "monstruosa" do ex-governador Silval Barbosa (PMDB) e de seus familiares.

Leia Também:
MPE fica impossibilitado de abrir investigações enquanto STF não compartilhar delação de Silval

 Durante a gravação de 1 hora e 24 minutos, Corrêa citou indícios de omissão de informações sobre práticas de crimes no processo de negociação do acordo com o ex-procurador-geral da República Rodrigo Janot.

 Este seria o segundo acordo de delação de Janot que fica sob suspeita. Antes, o acordo de delação premiada da JBS que afetou dezenas de políticos, incluindo o presidente da República, Michel Temer (PMDB), foi suspenso e resultou nas prisões de Joesley Batista e Ricardo Saud.

 Silval falou pro Coxinha: ‘se me prender, pode ficar tranquilo, que eu tenho... tô com a mala pronta, tá com documentos, no outro dia todo mundo cai

A gravação foi feita em 28 de agosto pelo ex-secretário de Indústria e Comércio do Estado Alan Zanatta. Corrêa, em prisão domiciliar desde a homologação da delação pelo ministro do STF Luiz Fux, teria insistido para conversar com ex-secretário que, temendo o delator, decidiu gravar a conversa com o amigo de longa data.

 Durante o áudio, Corrêa diz que o valor que teria de devolver aos cofres públicos, cerca de R$ 500 mil, seria pago por Silval Barbosa, diferentemente do que consta no acordo de delação.

O delator também assume ser dono de um garimpo, que ocultou da PGR. "O momento é... complicado para todo mundo (...) mas, também acho que ele não tem essa mobilidade que ele tinha antigamente. Mas pelo menos tô com um garimpo né", diz trecho do áudio.

O delator ainda afirma que falou em sua delação "coisas que quis". "Só isso, só isso e falei algumas coisas que eu quis. Só."

 Já em relação ao ex-governador, Corrêa diz que ele não possui nenhuma prova. Em um dos trechos da gravação, o delator explica para Zanatta que Silval chegou a falar para um de seus funcionários conhecido como Coxinha: "Ele [Silval] falou pro Coxinha: ‘se me prender, pode ficar tranquilo, que eu tenho... tô com a mala pronta, tá com documentos, no outro dia todo mundo cai‘."

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade