PERRI ALEGA QUE SECRETáRIO "INTIMIDOU" POLICIAIS QUE INVESTIGAM GRAMPOS EM MT
22.09.2017

Na decisão em que afastou o secretário de Segurança Pública Rogers Elizandro Jarbas, o desembargador Orlando de Almeida Perri aponta que o titular da pasta investigou por conta própria o promotor de justiça Mauro Zaque de Jesus, autor da denúncia envolvendo os grampos, e a delegada Alana Derlene Souza Cardoso que presidiu as operações em que ocorreram as escutas ilegais.

Perri destacou que Jarbas cometeu uma série de irregularidades, tais como ter acesso a documentos sigilosos e intimidando policiais e oficiais ligados a investigação. "Rogers Elizandro Jarbas, valendo-se de seu cargo e de sua influência, busca interferir nas investigações atinentes à prática do crime de interceptação telefônica ilegal, alcunhada de “grampolândia pantaneira”, tentando obter documentos sigilosos, ou constrangendo autoridades policiais e oficiais militares, intimidando pessoas ligadas à apuração destes fatos".

Segundo um trecho da determinação, “causou estranheza o comportamento do secretário em investigar por conta própria a conduta da delegada Alana Cardoso sem a instauração de um procedimento administrativo”. Ele ainda mencionou a investigação de Rogers contra o promotor Mauro Zaque, que detém prerrogativa de foro.

“Causa espécie o comportamento do Secretário de Estado de Segurança Pública de Mato Grosso em investigar, por conta própria e, o mais curioso, foi a tentativa de o Secretário de Estado de Segurança Pública, Rogers Elizandro Jarbas, investigar, por via transversa, seu antecessor, o Promotor de Justiça Mauro Zaque de Jesus, autoridade esta que trouxe à tona a existência do malsinado grupo criminoso formado para prática de escutas telefônicas clandestinas”, diz o magistrado.

A decisão também cita que o secretário ignorou a legislação, interrogando a delegada sem ela sequer ter se preparado. “Ela foi tomada de absoluta e incompreensível surpresa, sem ter qualquer possibilidade sequer de se preparar, demonstrando, com isso, a arbitrariedade perpetrada pelo Secretário de Estado de Segurança Pública”.

O desembargador Orlando Perri, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso, afastou determinou nesta quarta-feira o secretário de Segurança Pública do Estado, Rogers Jarbas. Além do afastamento, o magistrado determinou que o secretário use tornozeleira eletrônica, que acontecerá numa audiência na 11ª Vara Criminal, e também seja afastado da função de delegado da Polícia Judiciária Civil, mantendo o salário mensal de cerca de R$ 20 mil por mês. 

Ainda foram cumpridos mandados de busca e apreensão na sede da Secretaria de Segurança Pública do Estado.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade