JUíZA REVOGA DOMICILIAR E MANDA RETIRAR TORNOZELEIRA DE DOIS RéUS
27.10.2017

A juíza Selma Arruda, da Vara Contra o Crime Organizado da Capital, revogou as prisões domiciliares e determinou a retirada das tornozeleiras eletrônicas impostas a Karinny Muzzi de Oliveira e Marcos Moreno Miranda, réus da ação penal derivada da Operação Convescote.

 

A decisão foi dada nesta sexta-feira (27).

 

Ambos são acusados de ter integrado esquema que teria desviado mais de R$ 3 milhões dos cofres públicos, por meio de convênios firmados entre a Fundação de Apoio ao Ensino Superior Público Estadual (Faespe), a Assembleia Legislativa, Tribunal de Contas do Estado (TCE), Secretaria de Estado de Infraestrutura e Prefeitura de Rondonópolis (212 km ao Sul de Cuiabá).

 

A fundação, por sua vez, criava “empresas fantasmas” para simular a prestação de serviços.

 

Karinny Muzzi é ré sob a acusação de ser proprietária de uma das empresas de fachada usadas no esquema, a “Kec Muzzi, e de ter transferido valores da fundação para sua conta pessoal

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade