DEPUTADOS RECLAMAM DA SAúDE E PEDEM CABEçA DE SECRETáRIO
09.11.2017

A sessão ordinária da Assembleia Legislativa na manhã desta quinta-feira (9) foi marcada por duras críticas contra o secretário de Estado de Saúde, Luiz Soares. Membros da oposição e da base aliada do Governo pedem a demissão imediata do secretário, sob pena de “desmoralização” do governador Pedro Taques (PSDB).

 

O deputado Romoaldo Júnior (PMDB) afirmou que o Soares vem, sucessivamente, descumprindo ordens do governador. Disse ainda que os parlamentares não têm qualquer tipo de acesso ao secretário.

 

“Nem a bancada do Governo consegue ser atendida pelo secretário. O que vem a ponto é saber quem manda mais: o governador ou o secretário de Saúde? Por que o governador dá ordens que são descumpridas pelo secretário”, disse Romoaldo, na tribuna.

 

O que vem a ponto é saber quem manda mais: o governador ou o secretário de Saúde? Por que o governador dá ordens que são descumpridas pelo secretário

O parlamentar citou, por exemplo, que o secretário Luiz Soares determinou a suspensão nos serviços do Pronto Atendimento (PA) do Hospital Regional de Alta Floresta. Em razão de o Município não ter Unidade de Pronto Atendimento (UPA), o prefeito da cidade e alguns vereadores participaram de uma reunião com Taques, tendo a garantia de que os atendimentos não seriam paralisados.

 

“O governador tranquilizou o prefeito, deu prazo de um ano para o Município concluir a construção da UPA e o Estado continuaria atendendo. Pois bem: o secretário não obedeceu e suspendeu atendimento a partir de hoje”, afirmou o deputado.

 

Ainda conforme o parlamentar, uma reunião foi realizada na última quarta (8) com o governador em exercício, Carlos Fávaro (PSD), ocasião em que ele determinou pagamento de repasses a unidades de Saúde do Estado. Novamente, conforme o deputado, a determinação foi descumprida pelo secretário.

 

“O secretario Luiz Soares resistiu à ordem do governador. Então, estamos diante de um impasse. Minha sugestão é essa Casa dar apoio ao governador Fávaro para demitir hoje o secretário e pôr alguém lá que possa gerir a Saúde de Mato Grosso. É impossível que, por teimosia de um secretário, vá continuar morrendo gente no Estado”, disparou Romoaldo.

 

“Onde já se viu ir contra ordem do governador, sair descumprindo tudo. O secretário é teimoso, acha que está sempre certo. A crise da Saúde é financeira, mas também precisa de conversação. A população está revoltada e com razão. Ou demite ou (o governador) está desmoralizado”.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade