PF RECOLHE COMPUTADOR EM SECRETARIA DE MT; SERVIDOR LIBERA 10 VEíCULOS APREENDIDOS
05.12.2017

Agentes da Polícia Federal (PF) cumpriram um mandado de busca e apreensão na Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema-MT) na manhã desta terça-feira (5). O objetivo seria a coleta de documentos do ex-superintendente de Gestão Florestais da pasta, Marcus Keynes Santos Lima. 

Os agentes da PF ficaram dentro do prédio da Sema-MT por pelo menos dois horas colhendo documentos que podem subsidiar uma operação que pode ser deflagrada nos próximos dias. Outras viaturas da PF também foram vistas nas proximidades da Secretaria de Estado de Planejamento (Seplan-MT) e na Empresa Mato-grossense de Tecnologia da Informação (MTI).

No entanto, não há informações sobre possíveis alvos nos órgãos. A assessoria de comunicação da Polícia Federal não se manifestou sobre o cumprimentos de mandados na Sema.

Já a secretaria, por meio de nota, informou que as fraudes investigadas teriam sido cometidas pelo servidor no período em que ele atuou como superintendente regional do Ibama (Instituto Brasileiro de Meio Ambiente e Recursos Renováveis). "Há indícios de prática de advocacia administrativa em razão da devolução indevida à empresa autuada de cinco caminhões e cinco reboques apreendidos pela equipe de fiscalização do Ibama durante a operação Onda Verde", diz a nota da Sema.

Marcus Keynes atuou na Sema entre março e novembro de 2016. Apesar da pasta informar que não existe nenhuma investigação contra ele durante o período em que foi servidor do Estado, o secretário e vice-governador Carlos Fávaro (PSD) determinou uma auditoria para investigá-lo. "Foram levados da Sema apenas o computador utilizado pelo suspeito à época e a PF também requereu acesso ao perfil de usuário e contas de e-mail", completa a nota.

 

NOTA DE ESCLARECIMENTO

A Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) informa que agentes da Polícia Federal (PF) estiveram no órgão ambiental na manhã desta terça-feira (05.12) para cumprir um mandado de busca e apreensão exclusivamente do computador e da conta de e-mail que foram utilizadas por Marcus Keynes Santos Lima. O mandado do juiz federal João Moreira Pessoa Azambuja é de 21 de agosto deste ano.

A ação visa contribuir com as investigações referentes a um ato ilícito que teria sido cometido por ele no ano de 2014, enquanto superintendente regional do Ibama (Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e dos Recursos Naturais Renováveis) de Mato Grosso. Há indícios de prática de advocacia administrativa em razão da devolução indevida à empresa autuada de 05 caminhões e 05 reboques apreendidos pela equipe de fiscalização do Ibama durante a operação Onda Verde, por extração ilegal de madeira na terra indígena Apiaka-Kaiabi, localizada entre os municípios de Apiacás (MT) e Jacareacanga (PA).

Marcus atuou como superintendente de Gestão Florestal da Sema entre 02 de março e 1º de novembro de 2016. Não há qualquer denúncia de crimes praticados pelo suspeito referente a este período, enquanto servidor da Sema, mas a secretaria já se colocou à disposição da PF para prestar esclarecimentos e colaborar com a investigação.

Além disso, o secretário da pasta e vice-governador, Carlos Fávaro, e o secretário executivo, André Baby, determinaram uma ordem de serviço para que seja feita auditoria de todos os atos praticados por Marcus Keynes nos oito meses em que atuou como superintendente da secretaria. Foram levados da Sema apenas o computador utilizado pelo suspeito à época e a PF também requereu acesso ao perfil de usuário e contas de e-mail.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade