AL APROVA ORçAMENTO DE R$ 20,3 BI, MAS VOTA CONTAS DE TAQUES Só EM JANEIRO
20.12.2017

Mato Grosso iniciará 2018 com a Lei Orçamentária Anual (LOA) aprovada. Em três sessões plenárias, uma ordinária e duas extraordinárias, os parlamentares mato-grossenses aprovaram o Projeto de Lei Orçamentária Anual (PLOA) 497/2017 nesta terça-feria (19). A matéria apresenta a estimativa de receita e fixa as despesas para o exercício de 2018. O Estado contará com uma receita de R$ 20,3 bilhões para o próximo ano, cerca de R$ 2 bilhões a mais do que o estimado na LOA 2017, aprovada com receita de R$ 18,4 bilhões.

O texto recebeu um total de 291 emendas parlamentares, das quais 36 foram rejeitadas no primeiro parecer da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (CCJR), duas delas na Comissão de Fiscalização e Acompanhamento da Execução Orçamentária (CFAEO) e outras cinco rejeitadas no segundo parecer da CCJR.

Assim, a Lei Orçamentária Anual segue para sanção do governo com um total de 274 propostas dos deputados estaduais. O presidente da Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT), deputado Eduardo Bezerra (PSB), destacou o trabalho do Legislativo. “Foi um trabalho exaustivo, mas que tem sortido resultados para o Estado. Encerramos o ano com a LOA aprovada”, avaliou.

Com relação às contas do governo, o presidente Eduardo Botelho explicou que o plenário deverá analisar em janeiro, após o recesso administrativo da Casa de Leis.

O líder do governo na Assembleia, deputado Dilmar Dal‘ Bosco (DEM), agradeceu o comprometimento de todos os colegas ao longo de todo o ano para a discussão de pautas importantes. “A Assembleia foi muito importante não só para aprovar as pautas do governo, mas também projetos que envolveram as cadeias produtivas, garantindo o desenvolvimento da economia do Estado”, afirmou ao citar ser de conhecimento de todas as dificuldades econômicas enfrentadas em todo o país.

A deputada da oposição, Janaina Riva (PMDB), registrou que a bancada de oposição, apesar de pequena, com três parlamentares, foi indispensável para garantir quórum para aprovação do PLOA 497/2017. “Gostaria de destacar que a oposição também trabalha para garantir a aprovação das matérias importantes para o Estado”.

O deputado Allan Kardec (PT), também oposicionista, disse que, apesar de aprovada, a próxima LOA a ser aprovada poderá corrigir distorções, como a que ocorreu par ao exercício de 2018 em que os recursos para a área da cultura foram cortados em R$ 17 milhões.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade