WELLATON PEDE PARA AFASTAR ADEVAIR; BUSSIKI CITA “ATOS SUSPEITOS”
07.02.2018

O vereador Felipe Wellaton (PV) protocolou um requerimento pedindo o afastamento do colega Adevair Cabral (PSDB) da relatoria da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do “Paletó”, que apura conduta do prefeito Emanuel Pinheiro (PMDB), flagrado recebendo maços de dinheiro enquanto era deputado estadual.

 

No pedido de afastamento, encaminhado ao presidente da CPI, vereador Marcelo Bussiki (PSB), Wellaton aponta suposta tentativa por parte de Adevair de atrapalhar as investigações da comissão.

 

A alegação é decorrente de um impasse envolvendo a oitiva da primeira testemunha da CPI, Valdecir Cardoso de Almeida, que seria realizada na manhã desta quarta-feira (7).

 

“Intimado para figurar como testemunha da CPI, o sr Valdecir Cardoso deixou de comparecer sem justificativa prévia e idônea. Surpreendentemente, na primeira sessão de oitiva programada para receber o depoimento da referida testemunha, o vereador Adevair Cabral surgiu no plenário desta Casa com um suposto documento assinado pela testemunha, justificando sua ausência”, explica trecho do requerimento assinado por Wellaton.

 

Resta evidente, pois, que o vereador Adevair Cabral atuou de modo a obstruir a Justiça, ou, no mínimo, protelar os atos desta CPI

“Ocorre que este suposto documento jamais foi protocolizado nesta Câmara de Vereadores na forma legal e sequer apresenta número de protocolo. Resta evidente, pois, que o vereador Adevair Cabral atuou de modo a obstruir a Justiça, ou, no mínimo, protelar os atos desta CPI”, acrescenta o vereador.

 

Segundo Wellaton, tal atitude não deve ser admitida da parte de qualquer parlamentar, mais ainda no caso de Adevair, que é relator da CPI, sob pena de um “fracasso nas investigações”.

 

O requerimento foi apresentado logo após o final da sessão desta manhã, que foi bastante conturbada e marcada por bate-boca entre alguns parlamentares.

 

O próprio Wellaton, além dos vereadores Diego Guimaraes (PP) e Dilemário Alencar (PROS), por exemplo, criticaram a postura de Adevair, que foi acusado pelos colegas de “manobrar” para impedir o depoimento da testemunha nesta quarta.  

 

Adevair, por sua vez, alegou que os vereadores estavam usando a CPI como “palanque”.

 

“Passos suspeitos”

 

O presidente da CPI, Marcelo Bussiki, também colocou em “xeque” o comportamento de Adevair em relação a CPI.

 

“Toda a confusão começou com o vereador Adevair recepcionando um documento direcionado a mim. Meu gabinete funciona o dia todo, tem protocolo geral da Câmara. Não sabia que o gabinete dele recepcionava todas minhas correspondências”, disse Bussiki.  

 

“As ações dele não estão indo ao encontro da investigação. Ele começou esse processo de investigação querendo sessões às escuras, de portas fechadas. Agora ele recebe um documento endereçado a mim. Essas ações do vereador realmente não mostram passos de uma pessoa que quer investigar”, afirmou o parlamentar.

Eu vou tá até o final. Eu farei um relatório técnico e tudo que tiver dentro da CPI vai estar escrito

 

Segundo ele, o requerimento apresentado por Felipe Wellaton e que pede afastamento de Adevair será analisado em conjunto com a Procuradoria Jurídica da Casa.

 

Daí será avaliada a necessidade de afastamento ou não do vereador da relatoria da comissão.  

 

“Vou até o final”

 

O vereador Adevair Cabral, no entanto, disse que, após sua assessora receber o documento relatando a ausência da testemunha na CPI, procurou, sem sucesso, relatar o fato a Marcelo Bussiki.

 

“A partir do momento em que recebi o documento, eu já tentei encaminhar à direção da Casa e ao presidente da CPI. Tentei o dia inteiro falar com o presidente para passar para ele, mas não consegui. Tem provas no Whatsapp, ligações que eu fiz a ele”, disse.

 

Ele afirmou também que não pretende deixar a relatoria da comissão, já que foi nomeado após aval de líderes partidários.

 

“Eu vou até o final. Colocaram-me na CPI como relator, com 10 votos dos membros, dos lideres partidários. Se os líderes partidários quiserem me afastar, não tem problema nenhum, mas eu querer sair, não. Eu vou tá até o final. Eu farei um relatório técnico e tudo que tiver dentro da CPI vai estar escrito”, concluiu.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade