JUIZ DE MT QUE AUTORIZOU INTERCEPTAçõES DEVE DEPOR EM AUDIêNCIA SOBRE ESQUEMA DE GRAMPOS
14.02.2018

juiz Jorge Alexandre Martins Ferreira, que autorizou as interceptações telefônicas feitas pela Polícia Militar, deve depor em audiência sobre o esquema de grampos investigado pela Justiça. Os telefones de jornalistas e autoridades foram incluídos indevidamente numa supostas investigação sobre tráfico de drogas que teria o envolvimento de policiais militares.

O depoimento do magistrado está marcado para a próxima terça-feira (20) e deve ocorrer na 11ª Vara Criminal de Cuiabá. No mesmo dia também deve ser ouvido o empresário do ramo de TI, José Marilson da Silva.

As audiências tiveram início na sexta-feira (9). Já foram ouvidos pelo juiz Murilo Mesquita, titular da vara, a sargento Andréia Pereira de Moura Cardoso e o cabo Cleyton Doreilo Rosa de Barros, que confirmaram terem trabalhado na central de escutas.

Também foi ouvido na sexta-feira o cabo da Polícia Militar Euclides Luiz Torezan, que desenvolveu o sistema usado para as interceptações e o promotor e Justiça Mauro Zaque, que denunciou o esquema.

O escândalo veio à tona numa reportagem exibida pelo Fantástico em maio do ano passado.

Cinco PMs são acusados de fazerem parte de um esquema de espionagem, entre outubro de 2014 e agosto de 2015.

Centenas de pessoas que não eram suspeitas de terem cometido crimes foram espionadas, entre elas jornalistas, uma deputada de oposição, médicos, servidores públicos, empresários, advogados e um desembargador do Tribunal de Justiça de Mato Grosso.

Foram denunciados por participação no esquema os coronéis Zaqueu Barbosa, Ronelson Barros e Evandro Lesco, ex-chefe da Casa Militar, o tenente-coronel Januário Batista, e o cabo Gerson Correa Junior.

De todos eles, o cabo Gerson é o único que continua preso.

 

Investigações no STJ

 

Apenas o inquérito contra os militares tramitam na Justiça estadual. Desde outubro do ano passado, o esquema está sendo investigado pelo Superior Tribunal de Justiça (STJ).

A decisão de tirar o processo das mãos do Tribunal de Justiça de Mato Grosso (TJMT) atendeu aos pedidos feitos pelo governador Pedro Taques (PSDB) e pelo Ministério Público Federal (MPF).

Com isso, todas as diligências e depoimentos que até então ocorriam sob a relatoria do desembargador Orlando Perri, no TJMT, passaram a tramitar sob a supervisão do ministro Mauro Marques, do STJ.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade