EMPRESA ALVO DO GAECO DEPOSITA R$ 4,2 MILHõES PARA CONSULTOR
21.02.2018

A empresa EIG Mercados, alvo da Operação Bereré, deflagrada pelo Gaeco nesta segunda-feira (19), repassou mais de R$ 4,2 milhões ao empresário e consultor José Kobori.

As transferências foram feitas para sua própria conta corrente e para duas empresas de Kobori: a JK Capital Consultoria e Assessoria Empresarial Ltda, e a JK Desenvolvimento Humano e Treinamento Gerencial Ltda.

A informação está no pedido de prisão de 49 pessoas, feito pelo Ministério Público Estadual (MPE),  acusadas de participação no esquema de lavagem de dinheiro e distribuição de propina operado por meio do Detran-MT entre os anos de 2009 e 2015.

Segundo apurou a reportagem, Kobori prestou consultoria e chegou a assumir a presidência da EIG Mercados (antiga FDL Consultoria), que mantém contrato com o Detran-MT e repassava dinheiro para outra empresa, a Santos Treinamento que, segundo o Gaeco, pulverizava o dinheiro.

Depósitos

Segundo o MPE, as transações foram realizadas entre novembro de 2011 e fevereiro de 2016.

A investigação detalha as transferências realizadas em favor de Kobori e suas empresas.

Para a conta corrente do empresário foram transferidos R$ 3,3 milhões, de novembro de 2011 a fevereiro de 2016.

O relatório mostra transações feitas a JK Desenvolvimento Humano e Treinamento Gerencial, nos anos de 2013 e 2014, totalizando pouco mais de R$ 255 mil.

A JK Capital Consultoria recebeu R$ 723 mil, por meio de depósitos feitos entre agosto de 2012 e janeiro de 2016.

Os promotores citaram que Kobori também é membro do Conselho de Administração da empresa Canal da Peça - Compra e Venda de Peças . O empresário não foi alvo de pedido de prisão ou busca e apreensão.

Outro lado

O reportagem entrou em contato com a JK Capital, em Brasília, para obter o posicionamento do empresário. Em seguida o advogado Pedro Ivo, que representa Kobori, retornou a ligação. 

"Os aportes recebidos pela JK Capital e pela JK Desenvolvimento Humano se justificam em razão de consultorias empresariais prestadas à EIG Mercados pelas respectivas empresas ao longo de 5 anos", disse.

"Por sua vez, os valores recebidos por José Kobori referem-se ao trabalho exercido por ele para a EIG Mercados. José Kobori está à disposição das autoridades para explicar cada uma dessas operações", afirmou.

Operação Bereré

A operação foi desencadeada na manhã desta segunda-feira (19) em Cuiabá, Sorriso e Brasília (DF), com o cumprimento de mandados de busca e apreensão na Assembleia Legislativa, em imóveis e escritórios, além da sede da empresa em Brasília.

São alvos da operação o presidente da Assembleia Legislativa, Eduardo Botelho (PSB), o deputado estadual Mauro Savi (PSB), o ex-deputado federal Pedro Henry, servidores públicos, empresas e particulares.

A operação é desdobramento da delação premiada do ex-presidente do Detran, Teodoro Moreira Lopes, o "Dóia".

Ele revelou esquemas de corrupção na autarquia, iniciados em 2009, e que renderia, ao menos, R$ 1 milhão por mês.

As empresas FDL Serviços de Registro, Cadastro, Informatização e Certificação Ltda. (que agora usa o nome de EIG Mercados Ltda.), e a Santos Treinamento Ltda. teriam sido usadas para lavar dinheiro no esquema.

A EIG Mercados venceu uma licitação, em 2009, para prestar serviços de registro de financiamentos de contratos de veículos, por um período de vinte anos.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade