PREFEITO ENCAMINHA à CORREGEDORIA DENúNCIA DE FUNCIONáRIA FANTASMA DE BUSSIKI
20.03.2018

O prefeito Emanuel Pinheiro (MDB) enviou ofício ao presidente da Câmara Municipal de Cuiabá, Justino Malheiros (PV), informando ter encaminhado à Corregedoria Geral do Município uma denúncia envolvendo o vereador Marcelo Bussiki (PSB) e o ouvidor Jairo Pereira Rocha, pela suspeita de emprego de funcionária fantasma  no gabinete do parlamentar.

Leia também 
Representado por quebra de decoro, Renivaldo diz que vai "atropelar" Wellaton: vou te colocar no seu lugar


A denúncia inicialmente partiu do programa Pop Show, da TV Cidade Verde (Band). De acordo com a reportagem, a mãe do servidor municipal Jairo Pereira, a aposentada Noíze Pereira da Silva, é funcionária fantasma no gabinete do vereador Marcelo Bussiki com um salário de R$ 4 mil.

No oficio, o prefeito diz que ao receber a denúncia de sua chefe de gabinete precisou encaminhar o caso para a Câmara Municipal e à Corregedoria Geral para que sejam tomadas as providências sobre o caso.

“Ao tomar conhecimento deste email, não restou alternativa a não ser encaminhar a este poder e a corregedoria-geral do município para tomar todas as providências cabíveis e necessárias”, diz o ofício.

Oposição

Marcelo Bussiki é um dos vereadores que mais prega a oposição à gestão do prefeito Emanuel Pinheiro e foi o autor da proposta da Comissão Parlamentar de Inquérito, batizada de ‘CPI do Paletó’, que investiga suposto ato de corrupção de Pinheiro, enquanto deputado estadual. Ele também preside a CPI e briga na justiça para controlar os atos da comissão.

Na última sexta-feira (16), a justiça suspendeu a investigação por entender que a escolha do relator Adevair Cabral (PSDB) e do membro Mário Nadaf (PV), ambos da base aliada do prefeito, pode ter sido uma manobra política para atrapalhar a investigação.

Após o ofício ser lido no plenário da Câmara, o presidente Justino Malheiros deu o prazo de sete dias corridos à Bussiki para manifestar sua defesa da acusação.

Outro lado

Ainda ontem, após a exibição de Pop Show, Bussiki encaminhou à imprensa nota em que nega a acusação e afirma que é vítima de ataques por conta de sua postura combativa perante a atual gestão. "Tenho a consciência de que essa minha postura fere inúmeros interesses outros, inconfessáveis, sobretudo desde que passei a liderar a tão necessária CPI do Paletó. Ao questionar, fiscalizar e exigir dos agentes públicos que atuem dentro da legalidade e da ética, sou e continuarei a ser alvo de inúmeras ameaças e denúncias infundadas", defendeu-se.

Veja abaixo a íntegra da nota:

NOTA DE ESCLARECIMENTO DO VER BUSSIKI
 
Em relação à reportagem veiculada no Programa Pop Show desta segunda-feira (19), tenho a esclarecer o que segue:
 
É inverídica a informação de que a servidora Noize Pereira da Silva não comparece ou não presta serviço em meu gabinete. Noize foi nomeada em janeiro de 2018 e há três meses presta serviço de assessoria parlamentar, executando, entre outros, o trabalho de formulação de requerimentos e indicações voltados para a área de obras públicas; 
Trata-se de uma servidora aposentada recentemente pela Secretaria de Estado de Infraestrutura, onde trabalhou por 32 anos, com notório saber na área de fiscalização e gestão pública – tendo inclusive pós-graduação em gestão pública com ênfase em projetos estratégicos e auditoria e controladoria no setor público; 
 
Com exceção do modo atabalhoado como foi produzida e o teor extremamente preconceituoso de seu repórter, ao concluir que uma pessoa idosa de 69 anos não é capaz de continuar no mercado de trabalho, a reportagem pode servir de alerta para que nós, vereadores da Câmara de Cuiabá, implementemos medidas para controlar mais de perto o rigoroso cumprimento do horário de trabalho de todos os servidores. Em virtude disso, anuncio desde já que vou implementar em meu gabinete o ponto eletrônico biométrico – e vou propor também que os demais vereadores façam o mesmo; 

Todos os que acompanham meu mandato sabem que os valores da ética, da legalidade e da moralidade norteiam todas as minhas ações, mesmo antes de me tornar vereador de Cuiabá. Como controlador-geral do Município, na gestão do prefeito Mauro Mendes, eu implantei a Lei da Ficha Limpa e o Portal da Transparência. Já como vereador, propus a Emenda da Moralidade na Câmara de Cuiabá, no ano passado. 
 
Tenho a consciência de que essa minha postura fere inúmeros interesses outros, inconfessáveis, sobretudo desde que passei a liderar a tão necessária CPI do Paletó. Ao questionar, fiscalizar e exigir dos agentes públicos que atuem dentro da legalidade e da ética, sou e continuarei a ser alvo de inúmeras ameaças e denúncias infundadas. Mas continuarei a respeitar com dignidade a missão que me foi dada por 3.583 eleitores de Cuiabá. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade