DIA INTERNACIONAL DA SíNDROME DE DOWN: GESTãO EMANUEL PINHEIRO TRABALHA PARA OFERECER EDUCAçãO INCLUSIVA
22.03.2018

Toda criança tem direito a Educação, seja ela com alguma limitação ou não. Desde 2008 Cuiabá trabalha a educação inclusiva agora, a gestão humanizada do Prefeito Emanuel Pinheiro foi está sendo intensificada.

No dia 21 de março é comemorado o dia internacional da Síndrome de Down,  data criada com o intuito de levar mais informações a respeito do tema, enfatizando a importância dos direitos de inclusão social e o não preconceito aos portadores desta síndrome.

Na Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Ministro Marcos Freire, localizada no bairro Jardim dos Ipês, quatro crianças com Down fazem parte do quadro de alunos. Inseridas  em salas de aulas com crianças que não portam nenhuma deficiência,  são estimuladas à concentração, atenção, alfabetização, socialização e, em um segundo turno, desenvolvem atividades em uma sala multifuncional, um espaço equipado com computador, notebook e impressora, brinquedos, mobiliários e materiais didático e pedagógico para o atendimento educacional especializado a alunos da educação especial. Nessas salas os alunos participam de atividades que os ajudam a superar as dificuldades pedagógicas, principalmente com a escrita e a leitura.

Desde 1994 a pedagoga Maria Luzia Costa Marques decidiu se especializar na alfabetização e educação especial, uma das pioneiras em Cuiabá, na luta pela inclusão não apenas de crianças com Sindrome de Down, mas com todas as deficiências. "Atualmente trabalho no turno matutino do Ensino Básico com duas crianças portadoras da síndrome de Down. O trabalho  tem que ser bem cuidadoso, não posso trazer pra dentro da sala de aula, um exercício igual para todos até porque estas crianças tem uma outra forma de aprendizado e usam muito o sentido do tato, talvez o que uma criança aprende apenas contornando um numeral por exemplo, com eles tenho que trazer algo concreto em forma de objeto", destaca a professora.

Bernadete da Costa Oliveira, tem uma filha de seis anos que é portadora da síndrome, ela explica a importância da inclusão da crianças na sociedade e ressalta os benefícios que a Secretaria Municipal de Educação, disponibiliza para a filha, "Levei ela para a creche aos 3 anos, no ano seguinte ela começou a frequentar a escola regular. Atualmente ela é uma criança que interage com outras, reconhece o alfabeto e os números, consegue se alimentar sozinha, vejo diariamente a evolução dela", afirma Bernadete.

Arthur tem 4 anos e começou este ano na Educação Infantil. A mãe dele declarou que não colocou o filho na escola antes, para ser alfabetizado, com medo da forma com que os iriam cuidar dele, mas depois que acompanhou o trabalho desenvolvido e coordenado pela Secretaria Municipal de Educação, mudou de ideia e resolveu matricular o filho. "Nunca tratei o Arthur como uma criança diferente, tenho um outro filho de 8 anos e ambos são tratados da mesma forma, vejo a alegria que o Arthur  em vir pra Escola, o envolvimento dele com os colegas de sala e o interesse que ele tem nas atividades oferecidas", salientou Claudineia Oliveira.

Atualmente a rede municipal de Educação atende 53 crianças com Síndrome de Down, além de 6 crianças matriculadas na rede que estão sendo avaliadas para receberam o trabalho específico das Cuidadora de Alunos com Deficiencia (CAD). O acompanhamento do aluno também é feito para avaliar o desenvolvimento da criança especial bem como incluí-lo de modo igual junto aos demais alunos sem necessidades especiais. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade