VICE DIZ QUE NãO FEZ COMPROMISSO COM TAQUES PARA DEPOIS DE 2018
27.03.2018

O vice-governador Carlos Fávaro (PSD) dá cada vez mais sinais de que não deverá estar no mesmo arco de aliança do governador Pedro Taques (PSDB) nas eleições deste ano.

 

“O PSD está votando com a base do Governo. Agora, eu nunca tive compromisso para depois de 2018. Ninguém foi eleito para 2018. Até agora o partido estava na base, cumprindo seu papel. De agora em diante, temos que repactuar o projeto que Mato Grosso merece”, disse.

 

A declaração foi dada na sexta-feira (23), quando o vice-governador participou do ato de filiação do Democratas. A jornalistas presentes no encontro, Fávaro afirmou que estava “cumprindo uma missão” de seu partido.

 

Nunca tive compromisso para depois de 2018. Ninguém foi eleito para 2018. Até agora o partido estava na base, cumprindo seu papel. De agora em diante, temos que repactuar o projeto que Mato Grosso merece

“Estou aqui com uma missão que me foi dada pela executiva do PSD, com a independência que o partido me deu para discutir o melhor projeto para o Estado de Mato Grosso. Estou aqui em missão partidária”, afirmou.

 

Questionado se uma eventual composição com o DEM seria um sinal rompimento com Taques, Fávaro desconversou.

 

“Quem disse que o DEM não estará do lado do governador? Foi dito ali na entrevista que vamos discutir as melhores propostas para o estado de Mato Grosso e é isso que vou fazer com muita tranquilidade”.

 

“Também estive, por exemplo, com o senador Wellington Fagundes, conversamos um pouco, mas informalmente. Essa é a arte agora, esse é o momento de namorar, conversar, ver qual o melhor caminho para o Estado”, acrescentou.  

 

“Muito confortável”

 

O vice-governador ainda negou qualquer tipo de desconforto após a decisão adotada pelo PSD, na última semana, no sentido de adotar uma postura de independência em relação ao atual Governo.

 

O PSD ainda colocou os cargos da sigla à disposição de Taques.

 

“Eu estou muito confortável. Acabou o caciquismo no PSD. Não tem decisão de cima pra baixo. Ouvimos a base, a base deu independência, fizemos isso antes de 7 de abril para que aqueles que estejam insatisfeitos possam construir seu projeto com muita tranquilidade. E eu vou respeitar”, acrescentou Fávaro, ao citar o prazo final para aqueles que quiserem mudar de partido.

 

Nos bastidores, as informações são de que os deputados Gimar Fabris e Ondanir Bortolini, o Nininho já estariam deixando a sigla.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade