MEC LIBERA R$ 8,5 MI PARA UFMT EM VG
15.03.2018

O ministro da Educação, Mendonça Filho, anunciou em Várzea Grande, a liberação de R$ 8,5 milhões para a retomada das obras do campus da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) e que faz parte do Complexo do Parque Tecnológico na região do Chapéu do Sol. O anúncio foi feito no canteiro de obras, acompanhado pela prefeita Lucimar Sacre de Campos, vice-governador Carlos Fávaro, pelo presidente da Assembleia Legislativa, José Eduardo Botelho, pelo deputado federal, Fábio Garcia, pelo vice-prefeito de Cuiabá, Niuan Ribeiro, pelo presidente da Câmara de Várzea Grande, Chico Curvo, além de autoridades do Estado, vereadores e representantes da bancada federal de Mato Grosso.

Em princípio, foram descontingenciados valores do orçamento do Ministério da Educação para a UFMT, R$ 5,5 milhões, mas durante seu discurso, o ministro Mendonça Filho garantiu a suplementação dos recursos em mais R$ 3 milhões, montante que totaliza R$ 8,5 milhões. Conforme a reitoria da instituição, para a conclusão do campus de Várzea Grande são necessários R$ 24,7 milhões para infraestrutura e R$ 5,45 milhões para equipamentos de laboratórios e mobiliários.

O ministro prometeu analisar pedido da prefeita Lucimar Sacre de Campos para que seja feita uma programação financeira para liberar o total necessário até o final deste ano.

Em sua visita ao Estado, que teve apenas o campus da UFMT Várzea Grande incluído na agenda, o Ministro Mendonça Filho fez um balanço de sua gestão a frente do Ministério da Educação nos últimos dois anos e reforçou o compromisso e a atenção para com Várzea Grande, lembrando que existem cerca de R$ 20 milhões do orçamento ministerial já viabilizados ao Município. “Obras de quadras poliesportivas e de construção de 16 CMEIs - Centro Municipal de Educação Infantil, são o destino da maior parte desses recursos, fora a edificação de mais três escolas estaduais, em Várzea Grande”.

Hoje no Brasil estão paralisadas mais de 1,5 mil obras de Centros Municipais de Educação Infantil, sendo que os municípios têm apontado dificuldade em retomar, concluir e colocar para funcionar essas unidades que tratam da educação infantil.

Várzea Grande retomou 16 obras de CMEIs que vão criar até 5 mil novas vagas para a educação infantil o que permite dar segurança para os pais das crianças poderem praticar suas atividades profissionais.

As obras do campus da UFMT Várzea Grande foram paralisadas de forma definitiva há quatro meses, quando a instituição rompeu o contrato com a construtora responsável pela obra, mas desde meados de 2016 o ritmo do projeto vinha sendo executado de maneira considerada ‘lenta’ pela reitoria da UFMT Myrian Serra.

O descontingeciamento dos recursos foi uma conquista que derivou da união de esforços, tanto da UFMT quanto da prefeitura municipal. A pedido da reitora Myrian Serra, a prefeita Lucimar Sacre e o secretário municipal de Assuntos Estratégicos, Jayme Campos, além do secretário de Educação, Silvio Fidélis, abriram um canal direto com o ministro, no final da semana passada, onde em reunião com a bancada federal, a equipe teve agenda com o ministro, quando ficou definida a liberação dos recursos. “Trabalho e educação são os únicos elementos para levar o Brasil para frente”, afirmou o ministro.

O apoio à educação municipal foi lembrado e destacado pela prefeita Lucimar Sacre de Campos. Como disse, durante a solenidade, além do aporte financeiro de cerca de R$ 20 milhões para ser executado esse ano em Várzea Grande, “somos um dos poucos lugares do país, senão o único, em que as obras de educação foram retomadas e não vão parar até ficarem prontas e atender a demanda dessa valorosa gente de Várzea Grande. No país existem mais de mil obras de creches paralisadas, enquanto que em Várzea Grande temos 16 Centros Municipal de Educação Infantil – creches- em construção, cinco novas escolas municipais e outras três construções de escolas estaduais em parcerias. Várzea Grande não para e com a implantação definitiva do campus da UFMT aqui, Várzea Grande será um polo de difusão de conhecimento, compartilhando informações e promovendo a formação da Educação Infantil ao Ensino Superior”.

Ainda conforme a prefeita, o Executivo municipal articulou a liberação de recursos junto ao Ministério. “É nossa obrigação, enquanto gestor público, atuar em várias frentes de desenvolvimento, e isso nos imputa obrigações de articulação, interlocução, seja junto ao Estado ou à União. Fazemos isso porque qualquer investimento na nossa cidade é ganho, qualidade de serviço para a população, para o fomento do emprego e da geração de renda, por isso, é nossa obrigação atuar em todas as frentes. A UFMT representa o saber, dar mais oportunidade aos munícipes em cursar nível superior em sua cidade”, discursou a prefeita.

O secretário municipal de Assuntos Estratégicos, Jayme Veríssimo Campos, reforçou que as obras no campus já deveriam estar concluídas e contemplando o ensino superior. “A boa relação entre a União e o município de Várzea Grande permitiu retomar também as obras do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). Quase R$ 500 milhões estavam perdidos, mas com uma união de esforços recuperamos os recursos e vamos universalizar o fornecimento de água, 100% em Várzea Grande, e ainda elevar para 70% o tratamento do esgoto, que hoje não chega a 20%. Uma nova união de esforços, agora entre a prefeitura e o Estado, irá permitir, quero crer que em cerca de 60 dias, finalizar a construção da ponte sobre o rio Pari, necessária para ligação do bairro Chapéu do Sol com esse campus. Essa obra faz parte do projeto e estará no acesso principal do campus, na porta de entrada”.

A reitora da UFMT disse que sua primeira agenda oficial, ao assumir o cargo, em outubro de 2016, foi visitar o campus da UFMT, numa vistoria técnica acompanhada da prefeita Lucimar Campos. “Mais uma vez tivemos de pedir apoio ao Município e dessa vez nos possibilitou recursos em tempo recorde”.

O ministro Mendonça Filho, reforçou que os recursos estão disponíveis para liberação. Em relação a retomada física das obras, a reitora informou que o novo processo de licitação está em andamento e tão logo seja definido, o projeto volta à execução. Dos R$ 24,7 milhões, R$ 14 milhões são exclusivos à edificação do projeto.

Representando o governador Pedro Taques, o vice-governador, Carlos Favaro, destacou a importância do Campus para o ensino superior do Estado como um todo e reforçou que as obras do Parque Tecnológico, polo que vai concentrar a inovação no Estado, será um aglutinador do ensino, reunindo campus da UFMT, do IFMT, como também futuramente, campus da Universidade Estadual, a UNEMAT. “Tudo isso dá suporte e incentiva o ensino profissionalizante do ensino médio, que terá foco nas áreas de inovação e tecnologia que estarão em plena produção aqui no Chapéu do Sol”. Como ele classificou, “está ocorrendo uma revolução silenciosa no ensino público no Estado”.

O CAMPUS Iniciado em 2014, o campus de Várzea Grande está instalado no bairro Chapéu do Sol e oferece os cursos de Engenharia Química, Engenharia de Transporte, Engenharia de Minas, Engenharia de Computação e Engenharia de Automação e Controle.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade