MORRE PACIENTE COM SUSPEITA DE H1N1 E OUTRO é COLOCADO EM ISOLAMENTO NO PRONTO-SOCORRO
23.04.2018

Uma paciente de 60 anos, que estava internada com suspeita de Influenza A H1N1, morreu no últmo sábado (21), no Pronto-Socorro de Várzea Grande. Outro paciente, com a suspeita da mesma doença, que veio do interior do Estado, ainda está em isolamento na  Unidade de Tratamento Intensivo (UTI). 

Leia mais: 
Saúde recebe menos de 40% das doses e vacina contra influenza deve atrasar

A paciente que morreu havia dado entrada na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) Ipase, em Várzea Grande, na última terça-feira (17), com quadro de pneumonia severa. O local teve que ser interditado e o paciente transferido para uma UTI do PSM. 
 
As pessoas que tiveram contato com o paciente foram contatadas para que fizessem cadastramento e passassem por acompanhamento e o local passou por um processo de desinfecção. Exames foram feitos, mas os resultados devem sair em até 30 dias. 

Já o segundo paciente, sexo e idade não informados, seria do interior do Estado, e veio para o PSM com a suspeita de ter contraído o virus. 

De acordo com a Prefeitura do município, todos os protocolos exigidos pela Organização Mundial da Saúde (OMS) e pelo Ministério da Saúde foram adotados para se resguardar a segurança de profissionais da área médica e da população. 
 
Vacinação

 
A campanha de vacinação contra gripe começa hoje e segue até o dia 1º de junho, nos postos de saúde de Mato Grosso. Neste ano, o Ministério da Saúde pretende imunizar pouco mais de 773 mil pessoas no Estado, distribuindo 850 mil doses da vacina.  A mobilização nacional deve acontecer no dia 12 de maio. Vale lembrar que a vacina também proteje contra os vírus A/H1N1; A/H3N2 e influenza B.
 
Vigilância Epidemiológica estadual recebeu 42 notificações de casos suspeitos de influenza em Mato Grosso. A professora da rede municipal de Sorriso (420 quilômetros de Cuiabá), identificada como Camila Ramos de Souza, de 29 anos, morreu com pneumonia bacteriana no Hospital Regional, no último domingo (15). Segundo a família, existe suspeita de que ela pudesse ter contraído H1N1.
 
A certidão de óbito da professora aponta morte por pneumonia bacteriana. Porém, o hospital em que ela ficou internada suspeita de H1N1 e enviou os exames da jovem para fora do estado. O prazo para que o laudo fique pronto é de 30 dias. Por conta do fato, dois parentes dela estão internados de forma preventiva no hospital com os mesmos sintomas.
 
O Ministério da Saúde alerta para que as pessoas se vacinem dentro do prazo da campanha para evitar gripe e seus possíveis agravamentos. É preciso que todos estejam devidamente protegidos antes do inverno chegar, já que a vacina precisa de 15 dias para garantir a proteção.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade