PSDB DIZ RESPEITAR PROJETO DO DEM E APOSTA EM ALIANçA NO SEGUNDO TURNO EM MT
27.03.2018

O deputado federal e pré-candidato ao Senado, Nilson Leitão (PSDB), vê com naturalidade a saída do Democratas da base do governador Pedro Taques (PSDB) para lançar uma candidatura do partido ao Governo do Estado. O parlamentar aposta, inclusive, num retorno da aliança, em um eventual segundo turno.

Leitão afirmou, durante o evento que lançou de filiação de nomes como o de Mauro Mendes, Eduardo Botelho, entre outros líderes políticos ao DEM, realizado na última sexta-feira, que lançar candidatura neste momento é algo natural, que permite com que os partidos cheguem com mais força no período das convenções, em julho, para poder negociar a montagem das coligações com outras legendas. “É preciso sentar na mesa e discutir. Compreendo isso com a maior naturalidade. Este momento é o momento de todos os partidos terem candidatura, lançarem seus nomes, até para poder sentar na mesa com todos os seus atores políticos. Quem não tem esse nome, não vai sentar na mesa lá na frente. Isso não assusta. É normal na política. É um período de plantar, para colher lá na frente”, afirmou.

O ex-prefeito de Sinop enalteceu o DEM, que adotou uma postura independente em relação ao governador. Leitão elogiou bastante a legenda, que segundo ele, sempre esteve ao lado dos tucanos, tanto no Mato Grosso, quanto no cenário nacional.

O parlamentar inclusive aposta em uma reedição da aliança ainda num possível segundo turno, acreditando que Mauro Mendes (DEM) e Pedro Taques não ficarão juntos na liderança, no primeiro turno. “O calendário permite que neste período todo mundo lance candidatura. O DEM tem todo direito de buscar seu lugar ao sol. Eles sempre apoiaram o PSDB de alguma forma. Já estivemos juntos diversas vezes. Em 2014, demos nossa vaga no Senado para que o Jayme Campos fosse candidato e ele acabou desistindo depois. Mesmo que os partidos mantenham a candidatura separada, teremos que estar bem relacionados, pois poderemos ter um segundo turno onde há chances de estarmos juntos. A qualquer momento poderemos ficar juntos”, disse.

Nilson Leitão minimizou as pesquisas que indicam uma má avaliação do governo de Pedro Taques no início deste ano. Ele afirmou que até julho muita coisa pode acontecer e as pesquisas não devem ser utilizadas para “quebra de relação”.

Para ele, ainda existe a esperança de que DEM e PSDB possam estar juntos, ainda no primeiro turno. "Já fui prefeito duas vezes e tive momentos em que fevereiro e março, estava muito mal, e que em junho, julho, estava muito bem. Pesquisa é um retrato de momento. Tudo pode ser rediscutido. O que não pode é ter discórdia e quebra de relação. Temos que dialogar. O que eu posso afirmar é que em um momento ou outro, PSDB e DEM estarão juntos”, aposta.

Sobre a possibilidade de Pedro Taques abrir mão de se candidatar à reeleição, Leitão afirmou que não acredita nesta possibilidade. Ele apontou que assim como o atual governador, todos os nomes que foram lançados até o momento como possíveis candidatos ao Governo do Estado apresentam rejeição alta acima dos 25% e que é preciso ter paciência neste cenário. “O governador já me disse que não renuncia ao mandato, e se ele não renunciar, não pode ser candidato a outro cargo. A rejeição de todos que foram lançados como pré-candidatos ao governo está bem alta. Este não é o momento. Quem decide os candidatos é a convenção e até lá é preciso muita calma. Ninguém vai se eleger sozinho. Nem nós, nem nossos companheiros”, completou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade