DEPUTADO ALEGA "TER HISTóRIA" NO DEM; DESCARTA SAIR E DEFENDE EX-SENADOR AO GOVERNO
28.03.2018

Depois de causar polêmica e um princípio de crise ao não comparecer no evento de filiação de novas lideranças ao Democratas realizado em Cuiabá na última semana, que contou inclusive com o pré-candidato à presidência da República, Rodrigo Maia, o deputado estadual e ex-presidente do partido em Mato Grosso, Dilmar Dal Bosco, explicou o motivo de seu não comparecimento. Ele também descartou deixar a sigla, apesar de reconhecer a insatisfação gerada com a decisão sobre a formação do diretório regional da legenda.

Em entrevista ao programa Resumo do Dia (TV Brasil Oeste), o parlamentar afirma que ficou chateado por não ter sido sequer notificado da decisão, que ele afirma ter ocorrido “de cima para baixo”. Segundo Dilmar, estava prevista uma reunião no início desta semana para se formar a nova composição do diretório estadual provisório.

“No dia 22, véspera do evento com o Rodrigo Maia, estávamos fazendo a relação dos nomes que iriam compor o diretório provisoriamente e teríamos uma reunião na segunda ou terça-feira desta semana. Infelizmente, no dia 21, já tinham formalizado a nova composição. Eu sempre pedi em todas as reuniões, nas casas de Jayme Campos e Mauro Mendes, falando com o Fábio Garcia e o Eduardo Botelho, que não viesse decisão de cima para baixo, mas sim que tivesse uma reunião. Podia ter inclusive o mesmo resultado, sem nenhum problema”, lamentou.

O deputado estadual afirmou que o que mais chateou foi o fato de não ter sido notificado da decisão, mesmo sendo o ex-presidente do partido. “Por ser em tese o presidente do partido e não ter recebido nenhum comunicado, decidi não fazer parte do evento aquele dia. Isso não significa que eu estaria deixando o Democratas, até porque eu levei uma carta que foi entregue na mão do senador Jayme Campos, que lá no ato, carinhosamente, pelo respeito que tem por mim, leu”, afirmou.

Após toda polêmica, Dilmar Dal Bosco agendou com o secretário de Assuntos Estratégicos de Várzea Grande, Jayme Campos, uma reunião para explicar o motivo de sua chateação e da sua ausência do evento. Na reunião, ele garantiu que ficará no DEM e ainda defendeu a candidatura do ex-senador ao Governo do Estado.

“Conversei com o ex-senador de que nesta terça-feira, estaria na Várzea Grande, em uma reunião particular, e depois com o Júlio Campos. Expliquei as minhas razões e motivos, pelos quais eu não fui, e a minha permanência no Democratas. Inclusive eu defendo a candidatura de Jayme Campos ao Governo do Estado. Sempre defendi e vou continuar defendendo a candidatura dele a majoritária. Devido ao respeito que tenho por ele, decidi ficar no partido, onde tenho uma história”, completou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade