TAQUES DIZ Já TER R$ 180 MILHõES PARA FUNDO
09.04.2018

O governo do Estado conseguiu adesão de alguns segmentos produtivos que vão contribuir com R$ 180 milhões dos R$ 500 milhões anual, previstos com a criação do Fundo Emergencial de Estabilidade Fiscal (FEEF) e continua tentado convencer mais segmentos econômicos que eram beneficiados com incentivos fiscais e agora terão que pagar o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). A informação foi dada pelo governador Pedro Taques (PSDB), na manhã desta segunda-feira (9), durante coletiva de imprensa.

“Já fizemos mais de 40 reuniões com os segmentos, aqueles que concordam e não concordam. Estamos fazendo o convencimento e dos R$ 500 milhões que eram necessários, nós já temos R$ 180 milhões dos segmentos que concordaram”, disse.

Segundo o governador, a proposta de lei ainda não foi encaminhada para a Assembleia Legislativa de Mato Grosso (ALMT) por conta dessa série de reuniões com empresários, que ainda estão sendo feitas. De acordo com o presidente da ALMT, deputado Eduardo Botelho (DEM) e com a Secretaria de Estado de Fazenda (Sefaz), a previsão é de que o projeto seja enviado para apreciação dos deputados ainda nesta semana.

Na semana passada, houve uma reunião entre o governador Pedro Taques e parlamentares da base para apresentação do fundo emergencial, que até alguns dias não contava com apoio da maioria dos deputados, mesmo os aliados do governo. No entanto, segundo o deputado Max Russi (PSB), ex-líder do governo na Assembleia, há possibilidades de que o projeto seja aprovado, depois que houve a conversa com o governador. “Teve bastante discussão, o governo discutiu bastante com todos os segmentos pra poder mandar um projeto bem conversado, sem muito desgaste”, disse ao Gazeta Digital. 

Já o presidente do Legislativo, Eduardo Botelho, afirma que ainda não tem a posição dos outros parlamentares, mesmo após a reunião entre executivo e legisladores.

A criação do Fundo Emergencial de Estabilização Fiscal (FEEF), em seu projeto, prevê que grande parte dos recursos arrecadados sejam destinados a área da Saúde. A intenção do governador é que todo o recurso seja usado para essa finalidade. “Eu defendo que o fundo seja destinado 100% para a saúde, eu vou conversar com a nossa base pra ver se eu posso fazer esse convencimento”, afirmou. 

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade