EX-PREFEITO PEDE COMPARAçãO E DIZ QUE "MILHARES SOFREM" COM GESTãO TAQUES EM MT
04.05.2018

O ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), disse que o governador Pedro Taques (PSDB) entregará um Estado “pior” do que encontrou e comparou sua gestão à frente do Poder Executivo da Capital com o mandato de Taques. Em entrevista à edição do Jornal da Capital (Rádio Capital FM) na manhã desta sexta-feira (4), Mendes disse que a justificativa da “crise econômica” – comumente utilizada pelo governador para explicar o desequilíbrio das finanças no Estado -, não pode ser mais aceita pois o período de retração da economia “já passou”.

“Não vem falar de crise não. Crise já passou. O Brasil tá crescendo de novo, gerando emprego. Em Mato Grosso cresceu a arrecadação. Isso que importa, isso que tem que ser discutido. Milhares de pessoas estão sendo prejudicadas, sofrendo na fila da saúde, nos hospitais regionais. Milhares de pessoas estão sofrendo”, diz o ex-prefeito.

No dia 26 de abril de 2018, Taques disse a jornalistas durante um jantar que reuniu 25 prefeitos do PSDB em Cuiabá que “algumas empresas também quebram por fracasso”, numa clara referência ao próprio Mauro Mendes, que tenta fazer com que suas empresas consigam pagar seus fornecedores e concluam o plano de recuperação judicial homologado em 2016. A “alfinetada” do governador foi uma resposta as reiteradas críticas feitas pelo próprio Mendes à gestão Taques. 

Para o ex-prefeito da capital, no entanto, a declaração do chefe do executivo é “conversa fiada”. “Se ele quis jogar uma conversa fiada do meu lado pra mim não pega pois graças a Deus tenho minha história, respondo por ela e tenho muito orgulho dela”, rebateu.

Ainda durante a entrevista, o ex-prefeito de Cuiabá lançou um “desafio”: comparar os balanços de suas empresas antes de administrar a prefeitura da Capital. Mendes alega que as organizações entraram em decadência após seu afastamento da vida empresarial entre 2013 e 2016 – período em que chefiou o Palácio Alencastro.

“Se quiser fazer um desafio também, vamos lá ver minha empresa. Ela tinha problema quando eu estive ausente dela. Quando eu fiquei ausente quatro anos cuidando de Cuiabá. Durante 25 anos que lá estive, mostro todos os balanços, ano após ano cresceu, deu lucro, deu resultado. Por isso que virou uma grande empresa. Sai de lá infelizmente tive problema. Agora, se o governador falou isso, vamos ver como que ele recebeu o Estado em 2014. Vamos ver o balanço de 2014 e 2017”, questionou ele.

A recuperação financeira do Grupo Bimetal, de propriedade de Mauro Mendes, é o principal motivo alegado por ele próprio para definir ou não sua candidatura ao Governo do Estado nas eleições de 2018. Nesse sentido, o ex-prefeito de Cuiabá disse que não “pediu” para nenhum partido esperá-lo sobre uma eventual definição – o grupo político do qual faz parte aposta em Mendes como principal adversário de Taques numa disputa pelo cargo de governador.

“Eu nunca pedi a nenhum partido ‘fica me esperando’. Eu gostaria de contribuir, gostaria até de ser candidato. Eu tenho alguns problemas, tenho que resolvê-los. Se eu conseguir resolver eu poderei me colocar a disposição. Se eu não conseguir em tempo eu libero para seguirem o caminho que quiserem. Mas eu não estou pedindo, não pedi a ninguém que ficasse aguardando”, finalizou.

COMENTÁRIOS

*** **  ***


VÍDEOS

      
BUSCA:
© Copyright 2014 A Notícias - Política de Privacidade